Tenha uma boa madrugada! Hoje é Terça, dia 17 de Setembro de 2019. Agora são 04:20:41 hs
09 Dez

Todos contra a intolerância Destaque

Alex San

Todos unidos para superar o racismo, a homofobia e outras práticas discrminatórias dentro e fora dos Correios


Em sintonia com as questões sociais que afligem a classe trabalhadora e a sociedade e, em comemoração ao Mês da Consciência Negra, o Sintect-GO promoveu dia 30 de novembro, o III Encontro Regional da Questão Racial e da Diversidade Sexual dos Ecetistas de Goiás – Viva a Diversidade Humana!

Em pauta, as lutas contra  preconceito, discriminação, racismo, violência e exclusão social no mundo das oportunidades que ainda atingem negros, homossexuais e pessoas com deficiência. Um debate político, sob a ótica dos direitos humanos, que reuniu dezenas de trabalhadores no Augustus Hotel, em Goiânia, além de autoridades, militantes e especialistas nas áreas. Houve diversas apresentações artísticas que ressaltam a cultura afro-brasileira. 

Palestras

A advogada Chyntia Barcelos, presidente da Comissão de Direitos Homoafetivos da OAB/GO; e o militante e presidente da ONG Atitude, Weliton Pina, abriram o ciclo de palestras. Chyntia abordou os direitos civis básicos dos homossexuais, como casamento civil, união estável, inclusão em plano de saúde, herança e adoção. Conquistas alcançadas pelos movimentos sociais, com a intervenção do Poder Judiciário.  Completando a temática, Weliton levantou a discussão sobre o combate à homofobia, discriminação e preconceito.

Para fechar com chave de ouro, foi abordado o tema central do evento, a Questão Racial. A professora da UFG, Luciene Dias, doutora em Antropologia, destacou a importância da luta pelo reconhecimento dos negros e citou personalidades simbólicas como Zumbi dos Palmares, que são reconhecidas pelo que foram e que são.  Mas, ressaltou a professora, muitos ainda estão sendo silenciados pela sociedade.

Professor da PUC Goiás, Uene José Gomes abordou o mito da democracia racial e o raciscmo institucional. “A reflexão é um enfretamento e discutir sobre a questão racial é uma forma de superar os problemas que são tratados pelos mitos”, destacou.
“Com o evento o sindicato cumpre o seu papel de formação política dos trabalhadores e ainda contribui para a construção de uma sociedade mais justa, igualitária, democrática e inclusiva”, destacou o secretário da Questão Racial, Diversidade Sexual e de Pessoas com deficiência do Sintect-GO, Wesley Furtado.


Acessibilidade: uma
questão de cidadania


A palestra da procuradora do Tribunal de Contas de Goiás, Maísa de Castro, rendeu muitos conhecimentos acerca da acessibilidade. Um tema recorrente, porém ainda pouco praticado. A procuradora deu dicas simples de como ajudar pessoas com deficiência ou com alguma mobilidade reduzida. “A primeira pergunta que é preciso fazer para as pessoas que necessitam de acessibilidade é ‘como eu posso te ajudar?’. A melhor maneira, por exemplo, de ajudar um cego é oferecendo o braço para ele segurar”, explicou.

 Ela destacou que a acessibilidade precisa ser discutida em todos os ambientes, especialmente nos Correios porque seus trabalhadores lidam diretamente com o público. “É preciso que as pessoas se conscientizem, compreendam e propiciem uma evolução nesse cenário que ainda é muito triste e deprimente. É preciso que a sociedade entenda a temática para que possamos viver num ambiente mais democrático”, ressaltou.

O pioneirismo do Sintect-GO ao discutir em seus eventos a acessibilidade e outros direitos das pessoas com deficiência, ação sem precedentes no movimento sindical dos Correios, demonstra a preocupação da diretoria em conscientizar os trabalhadores para assegurar a todos o exercício dos direitos humanos e inclusão social.

O Sindicato acredita que não basta apenas, os Correios observarem a questão da reserva de vagas em seus concursos públicos, é preciso avançar garantindo-se ainda um ambiente de trabalho adequado às condições das pessoas com deficiência.
 
Fonte/Autoria: SINTECT/GO
Avalie este item
(0 votos)
voltar ao topo