Tenha uma boa madrugada! Hoje é Quinta, dia 15 de Novembro de 2018. Agora são 03:05:33 hs
06 Jun

Últimos assuntos debatidos na MNNP

Prezados trabalhadores (as) estivemos nos dias 04 e 05 de junho na Mesa Nacional de Negociação Permanente (MNNP), no intuito de debater sobre vários assuntos fixados na pauta como: Gestão do absenteísmo, afastamentos superiores há 15 dias, empregados com restrições médicas, empregados reabilitados, Programa de Prevenção dos Riscos Ambientais (PPRA), Plano de Emergência e Combate a Incêndio (PECI), Condições de Trabalho, Fornecimento de Materiais, Concessão dos Vales Transportes Regionais, Plano de Melhoria das Agências, PLR 2013 e 2014, SD, Termo de Acordo de Segurança, etc. 

Outro assunto apresentado pelos representantes dos trabalhadores na Mesa foi à solicitação de análise e avaliação da ECT, quanto à jornada de trabalho da área operacional nos dias de jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo.  Entretanto, não houve muito êxito nesta discussão. Os assuntos abordados e debatidos foram: 


Plano de Melhoria nas Agências (PMA) 

Após os representantes dos trabalhadores pressionarem bastante a empresa, demonstrando a falta de respeito e de realidade na formatação e elaboração do sistema de padronização do programa. Como também evidenciar que é preciso acompanhar de perto as realizações do programa, a área responsável colocou-se a disposição e prometeu acompanhar mais de perto a realidade de cada uma das unidades com o auxílio dos sindicatos;

Programa de Demissão Incentivada (PDI), Programa de Demissão Incentivada Aposentados (PDIA)
 
A ECT vai fazer levantamentos para quem tiver interesse de se desligar da empresa e efetuando as inscrições. O programa tem a validade de 01 (um) ano, e o interessado aposentado tem que ter no mínimo 10 anos de Empresa, 50 anos de idade e estar aposentado. Todo procedimento obedecerá alguns critérios que estão estabelecidos nas regras do Plano.

Diagnóstico Situacional e Proposta de Intervenção (DSPI)- Caráter Preventivo sobre a Relação Saúde e Trabalho (CPRST)
      
O Dr. Francisco Drummond Marconi de Moura Neto, autor do livro “Saúde e Trabalho nos Correios” esteve presente no primeiro dia de reunião da MNNP.  No livro são apontados todos os problemas vividos pelos Carteiros, OTT e atendentes de São Paulo, como também as doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho e das prevenções necessárias. Em sua fala, o médico criticou a política da ECT, do descaso em cumprir as normativas e assim evitar a sobrecarga de trabalho. Ele também falou sobre as condições físicas, emocionais e psicológicas dos trabalhadores, e da demora da ECT em dar respostas mais efetivas sobre o assunto.

Plano de Emergência e Combate a Incêndio (PECI) 
     
Após serem questionados pelos representantes sindicais sobre a ausência dos materiais e equipamentos, como os Equipamentos de Proteção Individuais (EPI) e outros nas regionais, a ECT informou que não há falta de equipamentos e produtos. Segundo a empresa, a falta de materiais é de responsabilidade das regionais e não do departamento responsável pelas compras, e informou também que as DR’s já foram autorizadas a fazerem compras esporádicas caso haja necessidade. Os representantes dos trabalhadores solicitaram da ECT, cópia da relação das pautas que demonstram o que há em estoque e o que precisa ser adquirido.

Sistema de Distritamento (SD)

Esse assunto foi um dos mais polêmicos debatidos na Mesa. Os representantes dos trabalhadores foram unânimes em exigir dos representantes da ECT, mais respeito e compromisso com os trabalhadores carteiros e clientes. Desde a elaboração dos SD`s, aprovação, contratação e implantação, exigimos mais agilidade por parte da empresa, haja vista a grande morosidade da mesma. Essa demora tem deixado os trabalhadores numa sinuca de bico com toda a responsabilidade. Além da falta de efetivo, sobrecarga, absenteísmo, doenças e outros, os carteiros ainda enfrentam a reclamação dos clientes.

Solicitamos a ECT que ela se organize para resolver ou amenizar os impactos reais e frequentes sobre os trabalhadores, como: Trabalhar junto aos órgãos responsáveis pelos planos diretores das cidades, envolvendo o poder público de modo geral, para resolver questões de endereçamento postal, e assim regularizar e agilizar as atividades dos carteiros. Outra questão apontado foi, que ao invés de elaborar as regras do SD apenas consultando os computadores, que a empresa fosse a loco juntamente com os carteiros e discutissem junto a melhor formatação e implantação do Distritamento. Os representantes dos trabalhadores também sugeriram que fossem formados grupos, através de comissões e palestras em cada regional, para juntamente com os técnicos da área  discutirem o SD. Um Termo sobre o tema foi solicitado na Mesa, entretanto, evidenciamos dificuldades colocadas por parte da empresa, demonstrando que a mesma não tem interesse de resolver o assunto.

PLR 2013 e 2014 

Depois de um exaustivo debate, ficou evidente que a empresa não teve interesse em avançar nas negociações. Como não houve acordo na mesa anterior, uma vez que parte dos sindicatos não concordaram com os critérios apresentados, foi realizada uma nova tentativa para o assunto ser esgotado.

A sugestão foi que a empresa tivesse bom senso e pagasse a PLR linear a todos, até porque o valor é muito baixo, em relação a outros anos, variando de R$272,00 a R$1360,00. A Empresa informou que levou as propostas ao DEST (Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais), mas que o Departamento não autorizou a linearidade nas duas PLR`s. Segundo a ECT, somente a PLR 2013 seria paga de forma linear, já a de 2014 continuaria da mesma forma, e que o acordo seria fechado por um período de cinco anos. Os representantes dos trabalhadores rechaçou a proposta de imediato, afirmando que se fosse linear em todas estaria OK, ao contrário nada feito. Sugerimos que a empresa pagasse de imediato de forma linear a de 2013, e que a PLR de 2014 fosse discutida na campanha salarial, o que não foi aceito. Como não houve acordo entre as partes, não sabemos o que irá ocorrer, se a ECT irá pagar da forma em que bem entender ou se ela buscará alguma intermediação junto ao MPT. O que não pode acontecer é que os trabalhadores assumam o ônus ou riscos futuros. 

CIPA
 
Chamamos a atenção de todos os trabalhadores para observarem a importância da CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, que visa não só prevenir, mas também corrigir várias situações dentro do local de trabalho. Neste sentido o sindicato alerta aos trabalhadores que ainda não tiveram interesse de se candidatarem ao pleito, que se candidatem para que possamos eleger nossos representantes. 

E o mais importante ainda é que, depois do acordo firmado na MNNP dia 26 de fevereiro de 2014, ficou estabelecido que todas as atas das reuniões da CIPA seriam encaminhadas aos sindicatos no máximo de cinco dias. Ou seja, entendemos que poderemos trabalhar em sintonia, sindicatos e CIPA, buscando assim solucionar os problemas e melhorar o ambiente de trabalho. 

Trabalhadores solicitem aos seus gestores informações sobre as eleições da CIPA.


DIRETORIA COLEGIADA
SINTECT – GO
Eziraldo Santos Vieira

Leia mais ...
Assinar este feed RSS