Tenha uma boa madrugada! Hoje é Terça, dia 17 de Setembro de 2019. Agora são 04:18:38 hs
SINTECT-GO

SINTECT-GO

URL do site: http://www.sintectgo.org.br/novo/

Campanha Salarial: greve é mantida em Goiás

 

Em Goiás, os trabalhadores em greve decidiram manter a greve por tempo indeterminado. A deliberação ocorreu durante assembleias realizadas nesta sexta-feira, dia 13. Os ecetistas em greve da região metropolitana de Goiânia estão se reunindo todos os dias em frente à Agência Central, localizada na Praça Cívica.

A greve também tem adesão de trabalhadores de Anápolis, Caldas Novas, Catalão, Cidade de Goiás, Goianira, Inhumas, Ipameri, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Piracanjuba, Pires do Rio, Rio Verde e Santa Helena.

TST propõe manter ACT

Durante audiência de conciliação nesta quinta-feira, 12, o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Mauricio Godinho, propôs a suspensão da greve e, em contrapartida, a manutenção dos termos do último Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e do plano de saúde para os pais dos empregados até 02/10, quando o TST deverá julgar o dissídio.

A proposta será avaliada pela FENTECT até a data-limite estabelecida pelo Tribunal, que é dia 17 de setembro.

Ecetistas de Anápolis doam sangue durante greve

Trabalhadores dos Correios em greve doaram sangue na manhã desta sexta-feira, 13 de setembro, no Instituto Onco-Hematológico de Anápolis. Esta é uma das ações que os ecetistas da cidade sempre realizam durante as greves da categoria.

Dez trabalhadores em greve participaram do ato de generosidade, que, segundo o Instituto, foi muito importante, uma vez que o estoque do banco de sangue da unidade está muito baixo. Para os trabalhadores que doaram sangue, o ato mostra que os trabalhadores não estão dando “sangue” só para a Empresa, mas também por toda a sociedade brasileira.

ATENÇÃO: Tentativa de golpes nos trabalhadores dos Correios em Goiás

O SINTECT-GO, bem como sua assessoria jurídica, NÃO LIGA para nenhum trabalhador solicitando o depósito ou transferência de dinheiro para que ele receba os valores de alguma ação. Caso você atenda ligações informando que para receber o benefício de alguma ação é preciso efetuar pagamento de custas processuais ou honorários, desligue, pois há um grupo se passando por dirigentes sindicais e pela advogada do Sindicato e aplicando golpes nos trabalhadores.

Golpes

Nesta última semana, o SINTECT-GO foi informado por inúmeros trabalhadores que há um grupo de pessoas aplicando golpe na categoria. Eles ligam para o trabalhador, se anunciam como uma pessoa do sindicato e falam para a vítima que ela tem uma ação, precatório, RPV, para receber, mas que para isso ela precisa depositar ou transferir uma quantia x.

Inicialmente, o grupo estava usando os nomes de Marcelo e Carlos Eduardo, fornecendo uma conta do Bradesco (que o sindicato pesquisou e descobriu ser de uma Agência de Fortaleza/CE), mas como algumas vítimas acabaram falando o nome de um dirigente sindical e/ou da advogada, eles já estão usando o nome dos mesmos.  Os números são de Brasília/DF.

Fique atento: nunca passe ou confirme seus dados pelo telefone.  E, caso tenha alguma dúvida ligue imediatamente para o Sindicato ou para os dirigentes sindicais.

Qualquer ligação intitulando ser o Sindicato ou a Assessoria Jurídica da instituição, não faça nenhum tipo de pagamento.

Trabalhadores dos Correios em Goiás estão em greve por tempo indeterminado

Imagem da Assembleia realizada em Goiânia nesta terça-feira

 

Os ecetistas em Goiás decretaram greve por tempo indeterminado na noite desta terça-feira, dia 10. A deliberação ocorreu durante assembleias realizadas em Goiânia, Anápolis, Caldas Novas, Catalão, Goianira, Inhumas, Ipameri, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Piracanjuba, Pires do Rio, Rio Verde e Santa Helena, que reuniram mais de 400 trabalhadores.

A Campanha Salarial deste ano teve início ainda em junho com a definição da pauta de reivindicações e o calendário, contudo as reuniões de negociação só começaram no início de julho após adiamentos por parte da ECT. Durante as negociações, a Empresa só enrolou e se recusou a negociar um novo Acordo Coletivo. Sua única proposta foi de 0,8% de reajuste salarial, excluir o ticket extra (vale peru), o vale cultura, o ticket durante as férias, e a responsabilidade civil em acidente de trânsito. Além disso, ela também propôs diminuir o adicional noturno de 60% para 20%, o trabalho em dia de repouso de 200% para 100%, os vales refeição/alimentação de 26 para 23 para quem trabalha de segunda à sexta-feira, e de 30 para 27 para quem trabalha de segunda à sábado.

 

Prorrogação no TST

Durante reunião do Procedimento de Mediação Pré-Processual (PMPP) do plano de saúde no Tribunal Superior do Trabalho (TST), no dia 31 de julho, o ministro Renato Paiva solicitou a prorrogação do atual acordo coletivo por mais 30 dias. A categoria e a ECT aceitaram a prorrogação, mas durante todo o mês de agosto, a Empresa não apresentou nenhuma proposta e nem se reuniu com os representantes dos trabalhadores.

Com a aproximação do prazo final, 31 de agosto, o TST solicitou mais uma vez, no dia 28 de agosto, a prorrogação do Acordo Coletivo da categoria ecetista por mais 30 dias, a contar do dia 1º de setembro de 2019. Contudo, apesar dos trabalhadores terem aceitado, a ECT foi contrária a prorrogação, afirmando que permitiria o curso natural da campanha.

 

Reivindicação da Categoria 

Os trabalhadores dos Correios reivindicam reajuste salarial com reposição da inflação do período (3,25%) e a manutenção de todos os direitos e benefícios já garantidos nos acordos coletivos passados.

 

ECT recusa proposta do TST de prorrogar Acordo Coletivo

A ECT recusou a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST), de prorrogar o atual Acordo Coletivo de Trabalho por mais 30 dias. A decisão foi informada no fim da tarde de sexta-feira, 30 de agosto, em oficio da Empresa encaminhado ao Tribunal.  A FENTECT, seguindo deliberação da maioria das bases sindicais, inclusive de Goiás, já havia informado ao Tribunal que aceitava a proposta de prorrogação, em mais uma tentativa de negociar com a Empresa.

 

Confira aqui oficio da ECT encaminhado ao TST

Trabalhadores aprovam prorrogação do ACT, mas greve poderá ser deflagrada no dia 03 de setembro

Os trabalhadores em Goiás, com base na proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de prorrogar o ACT por mais 30 dias, aprovaram a orientação do Comando Nacional de Negociação da FENTECT.  A deliberação ocorreu durante assembleias realizadas nesta quinta-feira, 29 de agosto, em Goiânia e em cidades do interior.

A orientação do Comando foi de aprovar a prorrogação do ACT por mais 30 dias, com reuniões semanais com ECT, Federações e TST e com data limite para encerramento das negociações no dia 26/09; manter o estado de greve; e aprovar o indicativo de greve para as 22h do dia 03/09, caso a ECT não aceite a proposta de prorrogação.

Durante a assembleia realizada em Goiânia, nesta quinta, o ecetista Antônio Marcos de Lacerda, conhecido como Paulista, falou da falta de negociação por parte da ECT. “Não estou vendo uma Campanha Salarial, não estou vendo negociação. Negociação é quando você apresenta uma proposta e existe uma contraproposta, e dentro dessa negociação vai conversando, uma parte cede e a outra também e vai costurando um acordo. Mas não é isso que está acontecendo”, afirmou.

A diretoria do SINTECT-GO destaca a falta que está sentindo da participação massiva dos trabalhadores nas assembleias. Para o secretário geral, Elizeu Pereira, está difícil entender a inação dos trabalhadores. “Só o fato da ECT propor 0,8% de reajuste salarial, excluir o ticket nas férias, o Vale Peru e o Vale Cultura, já são motivos suficientes para os trabalhadores ficarem indignados, se mobilizarem e lotarem as assembleias”, alegou Elizeu.

 “Os ataques da ECT e o que vem acontecendo no cenário político e econômico do pais deveriam fazer o trabalhador se mobilizar. Só com a participação de todos é que vamos conseguir avançar nesse embate que estamos vivenciando nossa campanha salarial. Precisa que toda a categoria compareça as assembleias para pressionar a ECT e fazer com que ela recue diante de seus ataques e intransigência e, assim, fazer com que a negociação seja resolvida da melhor maneira”, destacou o dirigente sindical, Eziraldo Vieira.

TST propõe prorrogar discussão do ACT por mais 30 dias

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) propôs prorrogar a discussão do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da categoria ecetista por mais 30 dias, a contar do dia 1º de setembro de 2019. O despacho do Ministro Vice-Presidente do TST foi publicado nesta quarta-feira, dia 28, um dia antes da realização de assembleias para a aprovação do indicativo de greve para o dia 03 de setembro.

De acordo com o despacho, o ministro afirmou não ter sido possível identificar e elaborar soluções que fossem aceitas tanto pelos trabalhadores como pela ECT, e que qualquer proposta deveria ser submetida às assembleias até o dia 31/08, exigindo tempo superior ao disponível. Assim, a categoria e a Empresa devem se manifestar em relação à esta nova prorrogação. Caso ela seja aceita, haverá reunião no dia 10/09 no TST para definir um calendário de negociações.

Esta é a segunda vez que o TST propõe prorrogar o ACT que, segundo o calendário definido no CONREP, deveria ter sido assinado no dia 31 de julho. Durante as reuniões de negociações, a ECT só enrolou e não apresentou nenhuma proposta que fosse de encontro com as reivindicações da categoria, pelo contrário, propôs infames 0,8% de reajuste econômico, valor bem abaixo da inflação verificada no período (3,80%), excluir o ticket de férias; vale peru; vale cultura; 70% de férias; e a responsabilidade em acidente de trânsito, que foram unanimemente rejeitadas pelos trabalhadores em todo o país.

Despacho

TST mantém decisão e ECT deverá indenizar vítimas de assaltos à Banco Postal em Goiás

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) manteve, no dia 15 de agosto deste ano, decisão que condena a ECT indenizar moralmente todos os trabalhadores vítimas de assaltos em Banco Postal entre 2008 e 2013 em Goiás, beneficiários da Ação Civil Pública 0011806-31.2013.5.18.0008. A Empresa havia feito recurso solicitando a reforma do Acórdão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Goiânia.

No recurso, a ECT alegou que não teve responsabilidades nos assaltos a seus empregados, e que eles "são decorrentes de casos fortuitos ou força maior, decorrentes da irresponsabilidade do Estado frente ao seu dever de garantir adequada segurança pública a toda a sociedade".

Para o TRT, apesar da responsabilidade da segurança pública ser do Estado, a Empresa assume os riscos sociais de sua atividade econômica, nos moldes do art. 2º da CLT, devendo proporcionar segurança aos seus empregados. Além disso, para o Tribunal, os documentos juntados aos autos comprovaram que as agencias postais são vítimas de assaltos constantemente, e que os danos sofridos pelos trabalhadores têm relação com as atividades desempenhadas. Decisão que foi confirmada pelo TST no julgamento pelo Ministro Relator Emmanoel Pereira.

Entenda o caso

Em 2013, o SINTECT-GO propôs uma Ação Civil Pública para que todos os atendentes de Banco Postal de Goiás que sofreram assaltos de 2008 a 2013, cerca de 270 trabalhadores, fossem indenizados por dano moral. A ação foi julgada procedente e confirmada pelo Tribunal.

Embora a ECT tenha feito recurso ao TST, agora negado, poderá recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), porém o SINTECT-GO acredita que a decisão será mantida.

  

* Para ter acesso aos documentos e lista de beneficiários, entre em contato com o SINTECT-GO

Matéria redigida por Laryssa Machado

Reprodução autorizada mediante indicação da jornalista responsável e da fonte: Site do SINTECT-GO

Dirigentes sindicais recolhem assinaturas contra a privatização dos Correios

 

O SINTECT-GO está coletando assinaturas contra a privatização da Empresa. O ato faz parte da campanha "Todos Pelos Correios", que pretender reunir 1 milhão de assinaturas em todo país contra o processo. Nesta quinta e sexta, 22 e 23, os dirigentes estarão pelo Centro de Goiânia, na Rodoviária e nas feiras livres com o abaixo assinado e conscientizando a população sobre os prejuízos da privatização dos Correios.

Nesta quinta-feira, 22 de agosto, dirigentes sindicais recolheram assinaturas na Praça do Bandeirantes, no Centro, e em frente a Faculdade de Direito da UFG, no Setor Universitário. Nos últimos 40 dias, os dirigentes sindicais visitaram todas as unidades dos Correios em Goiás e também recolheram assinaturas contra a privatização da estatal.

Governo anuncia privatização da Estatal

Nesta quarta-feira, 21, o governo anunciou uma lista de 17 empresas estatais que serão privatizadas, entre elas os Correios, Serpro e Telebrás (que tem ações negociadas na Bolsa de Valores).

 

Consequências da privatização para a população

Além de colocar em risco o emprego de mais de 105 mil trabalhadores e trabalhadoras em todo o país, a privatização dos Correios ainda trará graves consequências no âmbito social, econômico, territorial e geopolítico brasileiro, entre elas:

1)      Muitas pessoas serão privadas do acesso ao serviço postal por causa do fechamento de agências;

2)      A Empresa pode perder a obrigatoriedade de executar políticas públicas como distribuição de livros didáticos, entrega de vacinas, coleta e distribuição de donativos em casos de catástrofes, entre outros, e assim a sociedade seria prejudicada;

3)      No plano econômico, a privatização dos Correios pode aprofundar ainda mais a crise e aumentar as dificuldades logísticas para setores que dependem da Estatal;

4)      Pequenas empresas seriam prejudicas, pois deixariam de contar com o único operador logístico em todo o território brasileiro;

5)      Os Correios é a única instituição presente em 100% do território brasileiro, atendendo 5570 cidades;

6)      Os valores dos serviços prestados pelos Correios aumentarão; entre outros.

 

AJUDE A CATEGORIA ECETISTA A BARRAR A PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS, ASSINE O ABAIXO ASSINADO AQUI!

Ação das Diárias: Herdeiros de beneficiários já falecidos precisam preencher procuração

Os herdeiros de trabalhadores beneficiários já falecidos da Ação das Diárias precisam preencher procuração para ter direito a receber o valor que será pago pelos Correios até março de 2020.

Para isso, baixe a procuração de acordo com o seu caso (se um, dois, três, quatro ou cinco herdeiros), preencha e a entregue ou envie para a sede do SINTECT-GO junto com documentos pessoais dos herdeiros; documentos pessoais do falecido e certidão de óbito; e extrato de beneficiário de pensão por morte do INSS.

 

Procuração Diárias 01 herdeiro

Procuração Diárias 02 herdeiros

Procuração Diárias 03 herdeiros

Procuração Diárias 04 herdeiros

Procuração Diárias 05 herdeiros

 

Cálculo do primeiro grupo é apresentado

O cálculo do primeiro grupo de trabalhadores beneficiários (credores) na Ação Civil Pública das Diárias foi apresentado pelos Correios e já está disponível no site do SINTECT-GO (aqui).

O pagamento das diárias e os reflexos salariais dos credores foi fracionado em quatro grupos e serão pagos, após os tramites da ação, nas datas aproximadas de 10/12/2019, 20/01/2020, 20/02/2020 e 20/03/2020.

 

Saiba mais: Ação das Diárias: valor líquido pago aos trabalhadores ultrapassará dois milhões e meio em quatro etapas

SINTECT-GO

Endereço: Rua Anhangá, Quadra 32-A Lote 25 Vila Brasília -Aparecida De Goiânia Goiás, CEP: 74.911-380

Assinar este feed RSS