Tenha uma boa tarde! Hoje é Segunda, dia 24 de Setembro de 2018. Agora são 15:12:27 hs

Nota de repúdio à atitude da ECT em não aceitar a redação do Acordo Coletivo

O SINTECT-GO repudia veementemente a atitude da ECT em não aceitar a redação original do Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019, em uma manobra sorrateira para mudar o que foi proposto pelo Ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Renato de Lacerda Paiva, no dia 07 de agosto de 2018, quando a categoria se preparava para deflagrar uma grande greve nacional. Por conta da intransigência da ECT, a assinatura do Acordo foi adiada e a nova data será informada pela vice-presidência do TST, frustrando a expectativa dos trabalhadores em chegar ao final do mês com um acordo coletivo assinado.

Na última terça-feira, 21, o Comando Nacional de Mobilização e Negociação esteve presente no TST para a assinatura do ACT, no entanto, o vice-presidente de Gestão de Pessoas, Heli Siqueira, se negou a aceitar a redação original do ACT anterior no que diz respeito à cláusula 28, que trata do plano de saúde da categoria. Essa tentativa da ECT em excluir a cláusula 28, como foi apresentado nas negociações com o Comando, ou alterá-la, ocorre porque a cláusula não trata apenas do custeio do plano de saúde, mas de vários pontos importantes para a categoria, como a assistência médica da Empresa em caso de acidente de trabalho, o transporte dos empregados para o hospital conveniado mais próximo em caso de emergência, entre outros.

É importante destacar que o Comando de Negociação esteve com o TST para discutir a proposta apresentada pelo órgão, que era de manter o Acordo Coletivo 2017/2018, com ressalvas a decisão do órgão sobre o Plano de Saúde e o reajuste salarial de 3,68% (diferente dos valores apresentados pela ECT de 1,58% e 2,21%), para evitar qualquer tipo de rasteira da ECT, como está acontecendo agora. Além disso, a própria Empresa lançou vários informes internos, nos dias anteriores as assembleias de avaliação da proposta, afirmando ser favorável a proposta do TST, e agora desrespeitam não só os trabalhadores, mas o próprio Tribunal.

A categoria não irá aceitar mais manobras da ECT, principalmente no que se refere ao plano de saúde. Portanto, vamos permanecer mobilizados, em estado de greve, para a qualquer momento fazermos o enfrentamento contra mais este ataque que a Empresa tenta aplicar nos trabalhadores.

SINTECT-GO

Leia mais ...

Trabalhadores aprovam proposta do TST, mas mantém estado de greve

Apesar de manter o estado de greve, ecetistas em Goiás aprovaram, nesta terça-feira, dia 14, a proposta apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) para à campanha salarial da categoria.  Na Assembleia Geral realizada em Goiânia, 47 trabalhadores foram favoráveis à aprovação da proposta e 30 foram contrários. Confira total de votos abaixo.

No último dia 07, o Tribunal propôs reajuste salarial de 3,68% de reajuste salarial e nos demais itens financeiros (como auxílio-creche, vale-refeição/alimentação, vale-peru e quebra de caixa) e a manutenção do ACT 2017/2018 do jeito que estava, mas com ressalvas à decisão em relação ao plano de saúde da categoria (DC – 1000295-05.2017.5.00.0000).

No ponto de avaliação da campanha salarial, vários trabalhadores expuseram suas opiniões sobre aceitar ou não a proposta, mas a maioria concordou que fazer greve neste momento não seria a saída mais viável, principalmente levando em consideração que nos últimos anos a ECT sempre tem se socorrido com o TST.

É importante destacar que a luta continua e que o estado de greve foi mantido para que a categoria continue mobilizada e lutando, entre outras coisas, contra a abusividade no custeio do plano de saúde.

Assembleia em Anápolis

Em Anápolis, os trabalhadores aprovaram a proposta apresentada pelo TST, porém mantiveram o estado de greve por conta do plano de saúde da categoria e moção de repúdio ao presidente da ECT.

Quadro de votos das Assembleias 

Assembleia

Favoráveis

Contra

Abstenções

Goiânia

47

30

2

Anápolis

39

1

 

Santa Helena

12

 

 

Jataí

24

1

 

Quirinópolis

3

10

 

Total

125

42

 

 

Assista o momento da deliberação aqui

 

Leia mais ...

FENTECT questiona ministro do TST sobre documento enviado às federações

Imagem: Reprodução FENTECT

O Comando Nacional de Negociações se encontrou nesta quinta-feira (9) com o ministro vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Renato de Lacerda Paiva. O objetivo da reunião foi debater sobre a proposta do Tribunal enviada na última terça-feira (7) à FENTECT e à FINDECT. O documento mudou o rumo das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). 

O despacho assinado pelo ministro propôs a manutenção do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018, além do reajuste salarial em 3,68%, que corresponde ao total do INPC. O secretário-geral da FENTECT, José Rivaldo, aprovou o canal de diálogo aberto pelo Tribunal e questionou o ministro quanto à validade desse percentual. "Viemos esclarecer se o índice de reajuste contempla o salário bruto ou somente o salário base", disse Rivaldo ao ministro.

A resposta do ministro Renato foi propor a adequação do documento para contemplar a íntegra dos vencimentos, com exceção do vale-cultura. A previsão é apresentar a nova redação na segunda-feira (13). Além disso, o ministro reconheceu a necessidade de chegar a um acordo que alcance a necessidade dos trabalhadores. "A categoria é uma das mais importantes do país e eles merecem uma atenção especial", ressalta.

Plano de saúde também entra em pauta

José Rivaldo também chamou a atenção do ministro para a revisão do plano de saúde, que é uma demanda dos trabalhadores. "Temos trabalhadores pagando bastante pelo plano de saúde, comprometendo demais o orçamento familiar", destacou o secretário-geral da FENTECT. O ministro disse que o plano de saúde não deve entrar em discussão nesse momento, abrindo a possibilidade para que os sindicatos entrem com Processo de Mediação Pré-Processual para resolver a questão.

O Comando Nacional de Negociações deve se reunir em breve para encaminhar via informe as orientações aos sindicatos. Haverá assembleias em todo o país no próximo dia 14. A proposta de reedição do Acordo fica válida até essa data, de acordo com despacho enviado pelo TST às federações nesta quinta (9).

Informe 13 - Comando Nacional de Negociação

Reprodução: FENTECT

Leia mais ...

Após proposta do TST, categoria mantém estado de greve com indicativo para o dia 14

Os trabalhadores em Goiás decidiram manter o estado de greve com indicativo de greve geral para a próxima terça-feira, dia 14 de agosto. A decisão foi tomada após a ECT informar, na tarde de terça, que entrou com pedido de mediação junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), que por sua vez propôs a manutenção do ACT 2017/2018, ressalvando a decisão do Tribunal no Processo do Plano de Saúde (DC – 1000295-05.2017.5.00.0000), e reajuste salarial de 3,68% (inflação do período medida pelo INPC).

Diante da proposta informada na última hora e sem nenhuma consulta ao Comando de Negociação ou aos trabalhadores, a FENTECT orientou manter o estado de greve para que a proposta seja avaliada com calma. Ressaltamos que manter a decisão do TST sobre o plano de saúde da categoria, como foi proposto, significa retirar a cláusula do Acordo Coletivo de Trabalho sem chance de reverter a cobrança de mensalidade.

Assista ao vídeo da Assembleia em Goiânia aqui

Leia mais ...

Em Goiás, trabalhadores rejeitam proposta da ECT e aprovam indicativo de greve para o dia 07 de agosto

Os trabalhadores dos Correios em Goiás rejeitaram a proposta da ECT e aprovaram o indicativo de greve geral para o dia 07 de agosto. A deliberação ocorreu durante Assembleias Regionais e Assembleia Geral realizadas em cidades do interior e em Goiânia, no dia 25 e 26.

A categoria foi unanime em rejeitar as propostas apresentadas pela Empresa, que só retiravam direitos da categoria. Se antes os trabalhadores conquistavam benefícios durante as negociações de Campanha Salarial, agora eles negociam para não perder o que já foi conquistado através de muita luta.

Todas as bases sindicais ligadas à FENTECT rejeitaram as propostas apresentadas pelos Correios e aprovaram o indicativo de greve. O Comando Nacional de Negociação e Mobilização ainda está em Brasília e levará o resultado das assembleias para a ECT.

Confira aqui o Quadro Resumido de alterações propostas pela ECT para o ACT 2018/19

Leia mais ...

CAMPANHA SALARIAL: Descaso da ECT nas negociações coletivas!

 

Nas reuniões de negociação desta sexta-feira, dia 13, a Empresa propôs retirar o 3º parágrafo da cláusula 28, que garante a assistência médica/hospitalar sem compartilhamento para os de acidentes de trabalho. Na apresentação econômica financeira, a empresa novamente enfatizou o “déficit”, alegando não ter caixa e que há um prejuízo operacional. Já na questão do reajuste salarial, segundo a representação da Empresa, a orientação do governo é de reajuste zero!

Segundo o comando da ECT, as propostas de retirada de direitos representa para ela uma economia de R$ 880 milhões, e que estão sendo realizadas para atender às orientações da planilha do governo! 

A representação da Empresa ainda solicitou que o comando se reunisse na próxima terça-feira, 17, dia em que o presidente, Carlos Fortner, estaria buscando uma proposta para ser apresentada junto ao Planejamento.

Preparem-se para o grande enfrentamento que se aproxima! Não aceitaremos essa proposta de redução e ataques aos nossos direitos!

FIQUEM FIRMES E MOBILIZADOS, SÓ A NOSSA UNIDADE PODERÁ MUDAR ESSE QUADRO!

LUTAR SEMPRE TEMER JAMAIS!

PRA CIMA COMPANHEIRADA!

Direitos se ampliam, não se retiram!

Ueber Barboza

Membro do Comando Nacional de Negociação e Mobilização da Fentect

SINTECT/GO

Leia mais ...

Denúncia contra a Postal Saúde para a Campanha Salarial

Trabalhador, o sustento de sua família foi comprometido pelos gastos com o plano de saúde?

Você teve algum atendimento negado?

Caso isso tenha ocorrido, solicitamos que envie cópias de seus dois últimos contracheques, assinando a autorização abaixo, juntamente com um relato das dificuldades vivenciadas no uso do plano.

 As denúncias sobre o plano de saúde protocoladas no Sindicato serão enviadas à FENTECT e usadas na negociação coletiva e, se necessário, perante o TST em dissídio coletivo.

Se antes os trabalhadores dos Correios já sofriam com a falta de atendimento médico e a dificuldade para liberação de cirurgias e exames, agora precisam pagar mensalidade para usufruir do plano gerido pela Postal Saúde. Isso porque em março, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu que os trabalhadores dos Correios deveriam pagar mensalidade para ter o plano de saúde e manter seus cônjuges e filhos nele.

Desde que a gestão do plano de saúde dos ecetistas foi assumida pela Postal Saúde, no inicio de 2014, a categoria enfrenta problemas de descredenciamento de médicos e hospitais, dificuldade em libração de cirurgias, procedimentos e exames. Muitos ecetistas tiveram que interromper tratamentos, pois o médico ou hospital não atendia mais pelo Postal Saúde. Em outros casos, o convênio autorizava determinados procedimentos, mas não autorizava outros, mesmo eles fazendo parte do mesmo tratamento, o que acabava obrigando o trabalhador arcar sozinho com as despesas.

A cobrança de mensalidade sobre a remuneração, por sua vez, tornou o plano de saúde inviável para vários trabalhadores e suas famílias, representando enorme retrocesso de direitos. A Campanha Salarial deste ano objetiva, entre outros, reverter esta situação e precisa da ajuda dos trabalhadores para demonstrar o enorme dano causado pelas cobranças de mensalidades e pelo descredenciamento dos profissionais médicos, clínicas e hospitais.

Envie seu contracheque para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  juntamente com a autorização abaixo preenchida. Caso não tenha impressora, faça a autorização escrita com letra legível, fotografe (de forma que a autorização ocupe toda a tela) e envie junto com o contracheque.


Autorização do uso do contracheque e do relato do empregado

Eu____________________________________________________, RG n.º________________,

CPF n.º ____________________, residente à________________________________ _____________________________________________________________________________, autorizo o Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e suas Concessionárias, Permissionárias, Franqueadas, Coligadas e Subsidiárias no Estado de Goiás – (SINTECT/GO), bem como a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT) a utilizar meu contracheque e/ou meu relato durante negociação coletiva e posteriores ações judiciais sobre o Plano de Saúde. Esta autorização é válida pelo tempo em que perdurar a negociação e as ações judiciais.

 

_________________, _____ de ________ de ______.

 

Autorização em PDF aqui.

Laryssa Machado

Leia mais ...

Categoria está em estado de greve

Os trabalhadores em Goiás aprovaram o Estado de greve, no dia 05 de julho, durante Assembleia Geral e Assembleias Regionais realizadas em todo o estado. O Comando Nacional de Negociação e Mobilização continua em Brasília dando andamento nas reuniões de negociações, que devem finalizar no dia 16 de julho.

Até o momento não houve nenhum avanço significativo para a categoria e a ECT tenta a todo o momento reeditar as cláusulas do Acordo Coletivo, trazendo assim prejuízo para os trabalhadores.

Leia mais ...

Chega de ataques, é hora de aprovar o Estado de greve

As reuniões de negociações coletivas entre o Comando Nacional de Negociação e Mobilização, composto por representantes dos trabalhadores, e a ECT tiverem inicio no dia 19 de junho, na Universidade Correios em Brasília, mas até o momento não houve nenhum avanço significativo para a categoria. Por isso, o SINTECT-GO convoca todos os trabalhadores dos Correios em Goiás para participarem da Assembleia Geral, em Goiânia, e das Assembleias Regionais (conforme quadro), que serão realizadas no dia 06 de julho, para decretação do estado de greve.

Nas primeiras reuniões, os representantes da ECT continuaram insistindo no falso déficit e tentando a todo custo reeditar as cláusulas do Acordo Coletivo em vigência, numa tentativa de restringir o que já está estabelecido. Além disso, a Empresa tentou implementar ações que vão de encontro com os preceitos da Reforma Trabalhista, como a implementação do Registro de Ponto, que ela alega ser uma cobrança do Ministério Público, mas que na prática acaba sendo uma forma dos gestores pressionar ainda mais os trabalhadores.

Leia mais ...

Cláusulas que tratam da mulher ecetista são discutidas em quinto dia de reunião

Na negociação do dia 27 foram discutidas as cláusulas 10, 11, 12, 13, 14 e 15, que tratam especificamente da mulher ecetista. A ECT quis manter quase todas estas cláusulas, mas o Comando Nacional de Negociação e Mobilização propôs ampliações a fim de garantir a equidade de gênero no âmbito dos Correios.

Em relação a Cláusula 10 - Enfrentamento à violência contra a mulher, a representação dos trabalhadores solicitou que seja destacado os casos em que a mulher sofre violência domestica, principalmente quando o marido também trabalha na Empresa, e que todas as empregadas sejam liberadas para participarem das ações promovidas pela empresa sobre violência domestica, pois há gestores que não liberam as trabalhadoras das áreas operacionais para participarem.

Sobre a Licença Maternidade, cláusula 11 e 13, o Comando solicitou a ampliação por mais 60 dias. Já na cláusula 12 foi solicitado dois descansos especiais de 1h30 cada para a amamentação e a revisão do parágrafo 2º, no que se refere a transferência a pedido da emprega em período de amamentação. Na cláusula 15, sobre Promoção da Eequidade de Gênero e Enfretamento ao Seximo , o Comando reivindicou melhores condições de trabalho, com instalação de banheiros para pessoas com deficiência e banheiros exclusivos para mulheres, pois em muitas unidades nem isso tem; ampliação da licença paternidade para 20 dias, alteração da carga horária de mães com filhos portadores de necessidades especiais para 6h, entre outros.

Confira aqui a Ata do 5º de reunião

Ata da 4ª reunião

 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS