Tenha uma boa noite! Hoje é Terça, dia 15 de Outubro de 2019. Agora são 21:44:45 hs

Campanha Salarial (184)

Trabalhadores de Goiás aprovam proposta do TST

              

 

Os ecetistas de Goiás aprovaram, nesta terça-feira, 15, a proposta apresentada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TST) para a Campanha Salarial 2015. Cerca de 410 trabalhadores compareceram a Assembleia Geral em Goiânia, também foram realizadas Assembleias Regionais no interior. No total, 248 trabalhadores aprovaram a proposta e 221 negaram. Em Goiânia, foram 188 votos a favor, 153 contra e 68 se ausentaram da Assembleia. Já no interior, 60 trabalhadores votaram a favor, 68 contra e 16 abstenções.

A Proposta apresentada pelo TST prevê R$ 200 de aumento linear, em forma de gratificação, a ser paga da seguinte forma: R$ 150 a partir de agosto de 2015 e mais R$ 50 a partir de janeiro de 2016, com incorporação de 25% dos R$ 200 em agosto de 2016; reajuste de 9,56% nos benefícios vale cesta, vale-alimentação/refeição, auxílio para dependentes especiais e auxílio creche/babá a partir de agosto de 2015; incorporação de R$ 150 da Gratificação de Incentivo à Produtividade (ACT 2014/2015), sendo R$ 100 em janeiro de 2016 e R$ 50 em maio de 2016. O Tribunal propôs a criação de uma comissão paritária, em até 20 dias, para a discussão do Plano de Saúde. Além disso, o TST também prevê a implantação total da Entrega pela Manhã até o final de 2016.

A proposta do TST também foi aprovada pela base sindical de Alagoas, Amapá, Espírito Santo, Juiz de Fora (MG), Mato Grosso do Sul, Paraná, Ribeirão Preto (SP), Rio Grande do Norte, Rondônia, Santa Maria (RS), Santos (SP) e Uberaba (MG).

 

Confira a minuta da proposta aprovada aqui.

 

Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...

Greve dos trabalhadores dos Correios pode ser decretada em assembleias

O SINTECT-GO realiza Assembleia Geral, em Goiânia, e Assembleias Regionais, no interior, no próximo dia 15 de setembro, para a deflagração de uma grande greve geral a partir das 22h do mesmo dia. Em Goiânia, a assembleia será realizada em frente à Agência Central dos Correios, na Praça Cívica, a partir das 18h30.

A mobilização dos trabalhadores em Goiás faz parte da Campanha Salarial 2015 da categoria. Os representantes dos trabalhadores estão se reunindo com os Correios desde julho e até o momento a ECT apresentou três propostas bem abaixo do reivindicado pelos trabalhadores.

Na proposta original, apresentada no dia 02 de setembro, a Empresa antecipou os R$100,00 de incorporação da GIP do ACT 2014/2015 para janeiro de 2016 e ofereceu mais R$100,00 de uma nova gratificação semelhante a GIP (sem incorporação ao salário). Já no dia 10 de setembro, a ECT apresentou duas propostas alternativas, a primeira consiste também na antecipação dos R$100,00 de incorporação da GIP do ACT 2014/2015 para janeiro de 2016 e mais R$150,00 de uma nova gratificação que não incorpora no salário. Na segunda alternativa, ela propõe 3% de reajuste salarial para este mês de agosto e mais 3% para janeiro de 2016.

Leia o Boletim do SINTECT-GO Nº8 – Setembro de 2015


Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...

ECT apresenta duas propostas de reajuste salarial, uma de 0% e outra inferior à inflação

                                 

A ECT apresentou nesta quinta-feira, 10 de setembro, duas propostas alternativas de reajuste salarial. Na primeira ela antecipa os R$100,00 de incorporação da GIP do ACT 2014/2015 para janeiro de 2016 e oferece mais R$150,00 de uma nova gratificação semelhante a GIP (sem incorporação ao salário). Já na segunda alternativa, ela propõe 3% de reajuste salarial para este mês de agosto e mais 3% para janeiro de 2016.

Vale lembrar que a proposta original da empresa consiste na antecipação de R$100,00 de incorporação da GIP do ACT 2014/2015 para janeiro de 2016 e oferece mais R$100,00 de uma nova gratificação semelhante a GIP (sem incorporação ao salário).

Saiba mais no Boletim do SINTECT-GO Nº8 – Setembro de 2015

Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...

Ecetistas decretam estado de greve

 

Os ecestistas de Goiás decretaram, na noite desta quarta-feira, 02, o estado de Greve e o indicativo de greve a partir das 22h do dia 15 de setembro. A Assembleia Geral e as Regionais foram realizadas em Goiânia e no interior, respectivamente.

A mobilização dos trabalhadores em Goiás faz parte da Campanha Salarial 2015 da categoria. Os representantes dos trabalhadores estão se reunindo com os Correios desde julho e até o momento a ECT não apresentou suas propostas para fechamento de um acordo.

 

Assembleia é destaque no TJ Goiás da PUC TV, assistam aqui.

Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...

Trabalhador, é hora de decretar o Estado de Greve!

Estamos nos aproximando de momentos decisivos da Campanha Salarial 2015 e agora, mais do que nunca, é hora de ampliar a mobilização da categoria em todo o Estado. Por isso, o SINTECT-GO convoca todos os trabalhadores a participarem da Assembleia Geral e das Assembleias Regionais para decretação do Estado de Greve, que serão realizadas no dia 02 de setembro de 2015 em Goiânia e no interior.

As assembleias de decretação de Estado de Greve fazem parte do Calendário de lutas da Campanha Salarial e consistem em um aviso a direção dos Correios quanto a possibilidade de deflagração de greve geral da categoria no próximo dia 15 de setembro. Participe!

Negociações

As reuniões entre o Comando Nacional de Negociação e Mobilização da FENTECT (CNNM) e a ECT estão sendo realizadas desde o dia 14 de julho, e até o fechamento desta edição a Empresa não apresentou sua proposta de reajuste do salário e benefícios, e quanto as demais clausulas, propõe reedição.

De acordo com os membros do Comando, os representantes da ECT não se pronunciam sobre as reivindicações da categoria e ainda anunciam mudanças unilaterais no plano de saúde. Eles desconfiam da possibilidade de novos ataques, como restrições no beneficio, sobretudo para os novos contratados.

Pelo andar da carruagem e sem a clara demonstração de boa vontade da ECT em negociar as reivindicações dos trabalhadores, tudo caminha para a deflagração de uma das maiores greves dos últimos anos. Somente a ampla mobilização da categoria, lotando as assembleias, poderá ser capaz de forçar a direção dos Correios a realmente negociar e atender nossa pauta.

Participe das Assembleias!

Leia aqui o Boletim Nº7

Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...

FENTECT responde questionamentos importantes sobre a Campanha Salarial

Para responder a questionamentos da categoria, a FENTECT gravou um vídeo onde explica todo o processo da Campanha Salarial, bem como a organização dos trabalhadores em parceria com os sindicatos, o Comando de Negociação, entre outros. Além disso, alguns representantes dos trabalhadores, membros do comando, deram suas opiniões a cerca deste importante momento.

Confiram:

Leia mais ...

Campanha Salarial: Confira o dia a dia das negociações

 

Os ecetistas estão em Campanha Salarial, momento ímpar para a categoria, pois é neste período que as reivindicações dos trabalhadores são colocadas em cheque. A primeira reunião do Comando Nacional de Negociação e Mobilização (CNNM) foi realizada no dia 14 de julho com a participação de representantes dos trabalhadores e da ECT.

Na primeira reunião, os representantes da Empresa apresentaram o projeto de reestruturação e sugeriram que as negociações fossem feitas em mesa única com a presença das duas federações. Logo de inicio, eles ameaçaram envolver o Tribunal Superior do Trabalho para mediar às negociações, atitude que foi imediatamente negada e rebatida pelos trabalhadores.

Na reunião do dia 16 de julho, as primeiras discussões giraram em torno da PLR 2013, pois parte dos ecetistas receberam o menor valor, cerca de R$200,00, e outra parte recebeu em média R$600,00. Posteriormente foi discutido o descumprimento de várias cláusulas do ACT em vigência, entre elas: Cláusulas 06 - Garantias ao Empregado Estudante; 09 - Adicional de Atividade Distribuição e Coleta - AADC; 28 - Assistência Médica/Hospitalar e Odontológica; 33 - Empregado Inapto para Retorno ao Trabalho; 36 - Itens de Proteção no Caso de Baixa Umidade Relativa do Ar; 37 - Itens de uso e Proteção ao Empregado; 38 - Prevenção de Doenças; 40 - Saúde do Empregado; 41 - Distribuição Domiciliária; entre outras.

Em relação à PLR 2014, que ainda não foi paga, a Empresa disse que não irá pagar, deixando os trabalhadores indignados, tendo em vista que no último ano os Correios investiram em sua logomarca e nas Olimpíadas. Ao ser questionada sobre a falta de efetivo, a ECT informou que a publicação de edital de um novo concurso já está em andamento.

Na terceira reunião, 21 de julho, foi alterada a Ata proposta pela representação da Empresa referente à reunião anterior, que também afirmou no documento que o concurso público será por tempo indeterminado. Durante a tarde foi debatido as cláusulas do ACT 2014/2015 que a Empresa vem descumprindo. Em relação à PLR 2013, a ECT alegou que só fará o pagamento do maior valor aos trabalhadores cuja base sindical assinar o Acordo. Contudo, após discussão, a Empresa concordou que as negociações aconteçam mediante seis membros da Federação e um por Sindicato.

A reunião do dia 22 de julho teve inicio com discussões acerca das cláusulas sociais. Na ocasião a Empresa alegou que houve muitos avanços nas cláusulas ao longo dos anos e por isso preferiu por reeditar as cláusulas. Em relação à Cláusula 01 – Anistia, a representação dos trabalhadores solicitou que sua participação na Comissão de Anistia fosse aumentada, e passasse a ser de seis membros, e que fosse acrescentado ao parágrafo 3º o seguinte termo “que a ECT realizará estudo quanto ao impacto financeiro no tocante ao pagamento integral dos encargos durante o período de afastamento com a devida adequação salarial”. Já em relação à Cláusula 02 – Aposentados, a ECT afirmou que manterá a cláusula conforme o acordo coletivo em vigência e optou por discutir as reivindicações relacionadas às áreas de saúde e econômico-financeira nas cláusulas específicas.

Perante as reclamações feitas sobre os descumprimentos das cláusulas 15 – Acesso às dependências e 17 – Desconto assistencial, a Empresa formulou um memorando que será encaminhado as DR’s, orientando o cumprimento das mesmas. Já em relação às cláusulas 31 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA); 33 – Empregado Inapto para retorno ao trabalho; 34 – Ergonomia na empresa, 35 – Fornecimento de CAT/LISA, 37 – Itens de uso e proteção ao empregado; 39 – Reabilitação profissional e 40 –Saúde do empregado, a Empresa pediu que o CNNM assinalasse os problemas para posterior análise.

No dia 23 de julho as discussões tiveram inicio com a cláusula 03 – Assédio Sexual e Assédio Moral. A representação dos trabalhadores solicitou a criação de uma comissão paritária que tratar dos casos de assédio nas regionais e exigiu o fim das ferramentas de gestão, como o SAP, SGDO, SID e o GCR. Eles também reivindicaram que os manuais da ECT sejam discutidos previamente com a categoria, e que seja incluído no parágrafo 3º a seguinte frase: “Havendo a comprovação da denúncia ou, em não se constatando os fatos denunciados, em ambos os casos, as vítimas, se solicitarem, receberão a orientação psicológica pertinente”. A Empresa informou não haver problema em criar a comissão. Quanto ao acréscimo no 3º parágrafo, a ECT se comprometeu a encaminhar a proposta para avaliação.

Em relação à cláusula 04 -Discriminação racial, os trabalhadores negaram o estudo Efetivo por Raça ( realizado pela ECT) como parâmetro para a implementação de políticas raciais/ étnicas, uma vez que ele não reflete a realidade do efetivo na Empresa. Eles também solicitaram que a Empresa estabeleça cotas de 50% das bolsas estudos para mulheres, negros e índios; que se crie um Grupo de Trabalho entre a ECT e as representações sindicais para discutir o tema em âmbito nacional. Além disso, a representação dos trabalhadores solicitou também mais precisão nas apurações de casos de discriminação racial dentro da Empresa.

A cláusula 08 – Programa Casa Própria e GT de Anistia foram as principais discussão da reunião do dia 28. Na ocasião, os representantes dos trabalhadores analisaram que o número de trabalhadores beneficiados no programa Meu Endereço é pequeno, e exigiram a transparência em todas as ações do programa.

Já no dia 29 de julho, a discussão girou em torno das questões das mulheres. Uma das principais questões debatidas foi a rotina árdua de trabalho na empresa para as gestantes, por isso o comando solicitou que a ecetista, assim que for constatado a gravidez, seja transferida para o trabalho interno sem prejuízo da  remuneração.

Foi debatido na reunião do dia 04 de agosto as cláusulas 02 – Aposentados, 06 – Garantias ao empregado estudante e 07 – Licença Adoção. Não houve avanço na discussão, e a Empresa afirmou que irá reeditar o ACT 2014. Já em relação a retirada do AADC, a ECT alegou que este assunto é judicial.

Já na reunião do dia 05, foi discutido a necessidade de um calendário unificado, assim como os principais eixos da Campanha Salarial: Reestruturação da ECT (Correios Par);  Concurso Público; Pagamento da PLR;  Condições de trabalho;  Postal Saúde;  AADC e Periculosidade;  Unificar nossa luta com a de outras categorias; e  Moção de repúdio à direção da empresa.

Nos dias 06 e 11 de agosto não houve reuniões, pois as mesmas foram desmarcadas pela ECT. Nas reuniões posteriores, que ocorreram nos dias 12 e 13, a Cláusula 28 – Assistência Médica/Hospitalar e Odontológica começou a ser discutida, porém a ECT afirmou que a redação da cláusula “está em análise e propuseram que esta seja discutida em reunião posterior”. A representação dos trabalhadores acredita que este faz parte de um novo ataque ao plano de saúde como também do processo de reestruturação que vem sendo aplicado na ECT.

Durante as reuniões dos dias 18,19 e 20 de agosto foram discutidos os temas relacionados às Cláusulas: 33 – Empregado Inapto para Retorno ao Trabalho; 34 – Ergonomia na Empresa; 35 – Fornecimento de CAT/LISA; 36 – Itens de Proteção no Caso de Baixa Umidade Relativa do Ar; 37 – Itens de Uso e Proteção ao Empregado; 38 – Prevenção de Doenças; 39 – Reabilitação Profissional; 40 – Saúde do Empregado e as Cláusulas propostas pela Pauta Nacional da Categoria: “Plantão Ambulatorial” e “Convênio Farmácia”, porém, como sempre, não houve nenhum avanço.

Já nas reuniões dos dias 25, 26 e 27 de agosto, a ECT prometeu que na próxima reunião, que será realizada nesta terça-feira, 01, apresentará a proposta quanto à modificação da Cláusula 28 – Assistência Médica/Hospitalar e Odontológica e Cláusula 41 – Distribuição Domiciliaria, e no dia 02/09 se posicionará em relação às paralisações nacionais ocorridas em 18/03, 15/04 e 29/05 de 2015, bem como das paralisações ocorridas nas regionais e debate das cláusulas que ficaram pendentes de resposta. Ainda de acordo com a representação da Empresa, na reunião do dia 03 ela apresentara as propostas de reajuste salarial e de benefícios.

 

Confira aqui todos os Informes da Campanha Salarial 2015

Autoria: Laryssa Machado - Assessoria de Comunicação SINTECT-GO

Leia mais ...

Aditivo do ACT2014/2015 altera três cláusulas, inclusive a de vale cultura

A FENTECT e a ECT assinaram, no dia 22 de janeiro deste ano, o primeiro Termo Aditivo do ACT 2014/2015, que altera as redações das Cláusulas 33 (Empregado Inapto para retorno de trabalho), 48 (Auxilio para Dependentes com Deficiência) e 53 (Vale Cultura).

Com o aditivo, a cláusula 33 sofre alteração na redação do inciso III. “Em caso de acidente de trabalho, será observado o disposto no inciso I do § 5º da Cláusula 51”, será substituído pela nova redação, que é “Em caso do afastamento ser decorrente de acidente de trabalho, será observado o disposto no caput do § 5º da Cláusula 51”.

A cláusula 48 passa a ter a seguinte redação:

"Cláusula 48 - Auxilio Para Dependentes Com Deficiência -A ECT reembolsará aos empregados cujos filhos, enteados, tutelados e curatelados dependam de cuidados especiais as despesas dos recursos especializados que utilizem, observado o seguinte:

a) para os efeitos desta cláusula, entendem-se como recursos especializados os resultantes da manutenção em instituições escolares adequadas à educação e desenvolvimento neuropsicomotor de pessoas dependentes de cuidados especiais;

b) a manutenção dos dependentes de cuidados especiais em associações afins e também as decorrentes de tratamentos especializados condicionam-se à prévia análise do Serviço Médico da ECT;

c) o valor do reembolso previsto nesta cláusula corresponde ao somatório das despesas respectivas, condicionado ao limite mensal máximo de R$ 736,80 (setecentos e trinta e seis reais e oitenta centavos) em rei ação a cada um dos dependentes de cuidados especiais;

d) os gastos mensais superiores ao limite estipulado na alínea anterior poderão ser reembolsados com base em pronunciamento específico por parte do Serviço Médico e do Serviço Social da ECT, conforme documento básico.

Parágrafo Único - O reembolso será mantido mesmo quando os respectivos empregados encontrarem-se em licença médica."

Já em relação ao Vale Cultura (cláusula 53), o aditivo expande o prazo para a adesão ao beneficio, e prevê o pagamento das parcelas retroativas a janeiro de 2014, até o dia 30 de abril deste ano. O empregado que não tiver apresentado o termo de adesão dentro do prazo previsto ou após o dia 24/10/2014, para ter direito ao pagamento das parcelas retroativas, poderá apresentar até o dia 27/02/2015.

Leia mais ...

Aditivo do ACT2014/2015: Cláusula de vale cultura e a que trata de afastamento por acidente de trabalho poderão sofrer alterações

A FENTECT e a ECT estiveram reunidas no dia 16 de dezembro, em Brasília/DF, para discutirem assuntos diversos relacionados à categoria. A reunião resultou no Primeiro Termo Aditivo ao ACT-2014/2015, que propõe alterações e/ou inclusões na redação das Cláusulas 33 (Empregado Inapto para retorno de trabalho) e 53 (Vale Cultura).

Caso o termo aditivo seja aprovado, a cláusula 33 sofrerá alteração na redação do inciso III. “Em caso de acidente de trabalho, será observado o disposto no inciso I do § 5º da Cláusula 51”, será substituído pela nova redação, que é “Em caso do afastamento ser decorrente de Acidente de Trabalho, será observado o disposto no caput do § 5º da Cláusula 51”.     

Em relação ao Vale Cultura (cláusula 53), o aditivo expande o prazo para a adesão ao beneficio, e prevê o pagamento das parcelas retroativas a janeiro de 2014, até o dia 30 de abril deste ano. O empregado que não tiver apresentado o termo de adesão dentro do prazo previsto ou após o dia 24/10/2014, para ter direito ao pagamento das parcelas retroativas, poderá apresentar até o dia 30/01/2015.

É importante destacar que o aditivo só passará a valer, após a assinatura das Federações.


Laryssa Machado

Leia mais ...
Assinar este feed RSS