Tenha uma boa noite! Hoje é Terça, dia 15 de Outubro de 2019. Agora são 21:45:15 hs

ECT rejeita contraproposta dos trabalhadores e comprova intransigência para negociar




A ECT, em resposta à contraproposta da Fentect enviada na sexta-feira (27/09), disse já ter apresentado proposta final no limite de sua capacidade financeira, o que sabemos ser mais um engodo. A Federação recebeu o documento da Empresa nessa segunda-feira (30/09).

No documento, a Empresa afirmou que o reajuste de 8% sobre o salário e 6,27% sobre os benefícios é o limite do que pode conceder e que vai esperar o julgamento do dissídio no TST, comprovando mais uma vez a sua intransigência em não querer negociar com a categoria.

O nosso Ato nacional, que estava marcado para o dia 03/10, foi adiado para o dia do julgamento. O Dissídio Coletivo de greve está marcado para às 14h30 da próxima terça-feira (08/10) no TST. O relator será o ministro Fernando Eizo Ono.

A Empresa continua apelando em seus informativos internos, mas não devemos nos deixar levar por essas informações da ECT, por isso, devemos continuar firmes na greve até lá. A ECT se manteve intransigente durante toda a Campanha Salarial, achando ainda que os trabalhadores iriam recuar com o teatro da "assinatura" do suposto acordo com os sindicatos de São Paulo e Rio de Janeiro e, também, com as várias ameaças a categoria. Porém se enganou.

Demonstraremos mais uma vez a força da categoria unida em greve, com um grande ato em Brasília, no dia do julgamento.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Fentect protocola contraproposta e deixa ECT em xeque





Os membros do Comando de Negociação da Campanha Salarial 2013/2014, protocolaram, na última sexta-feira (27/09), a contraproposta elaborada pelo Comando e aprovada pela maioria dos Sindicatos filiados à Fentect, em suas assembleias. O texto, protocolado no Tribunal Superior do Trabalho (TST), destinada aos Ministros da Seção de Dissídios Coletivos do TST e, em especial, ao relator do Dissídio Coletivo suscitado pela ECT, Ministro Fernando Eizo Ono e também na ECT, prevê:
 
1º. Manutenção da Assistência Médica (Correios Saúde) nos moldes atuais e extensivos aos novos empregados, mantendo-se a ECT como gestora direta do Correios Saúde, sem a possibilidade de gestão por qualquer outra entidade;

2º. Abono dos dias parados, incluindo as paralisações dos dias 11/07 e 30/08, comprometendo os trabalhadores a colocar a carga represada por conta da greve nacional em dia;

3º. Reajuste salarial de 8% extensivo a todos os benefícios;

4º. Aumento linear de R$ 100,00;

5º. Implantação da Entrega Postal matutina em todo o território Nacional;

6º. Pagamento de Auxílio-Creche a todos os funcionários, sem discriminação;

7º. Contratação imediata de mais trabalhadores, através de Concurso Público, em substituição aos terceirizados e MOT’s;

8º. Isonomia das gratificações de função motorizada pelo maior valor em todas as DR’s.
 
A Fentect denuncia que a ECT está utilizando sua rede interna para praticar atitudes ilegais, coagindo os trabalhadores no ambiente de trabalho e causando confusão quanto às tratativas do Acordo Coletivo de Trabalho. A Empresa tenta iludir os trabalhadores com a falsa expectativa de avançar nas negociações regionais, uma atitude contraditória, tendo em vista que os Correios haviam se manifestado no sentido de esperar a decisão do julgamento do Dissídio Coletivo.
 
Numa demonstração de desespero frente à firmeza dos trabalhadores em manterem a Greve Nacional, a Direção dos Correios tem utilizado seus informativos, especialmente o Plantão do Acordo, para mentir, assediar e coagir os trabalhadores e as diretorias dos sindicatos a aprovarem a última proposta da ECT, já rejeitada pelas assembleias, e aprovada, contra a vontade dos trabalhadores, pelas diretorias sindicais de SP, RJ, RO, RN e Bauru, um golpe que resultou num pseudo-acordo que ataca nosso plano de saúde e que agora tentam estender às demais bases sindicais.
 
Entendemos que, se a ECT pretende reabrir as negociações, deve fazê-lo com os trabalhadores legitimamente eleitos e indicados pelos sindicatos para representar a categoria em nível nacional, ou seja, o Comando Nacional de Negociação e Mobilização da FENTECT. Repudiamos a postura antidemocrática e anti-sindical da Direção dos Correios e alertamos os companheiros a não se deixarem enganar com falsas promessas das Diretorias Regionais. Informamos que o Departamento jurídico da FENTECT já está tomando as medidas legais junto ao TST e Ministério Público do Trabalho para coibir tais atitudes da direção da ECT. A Fentect orienta que os trabalhadores permaneçam em greve e ampliem a mobilização.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

ECT e Fentect não entram em acordo em audiência do TST


Audiência no TST


Durante a audiência de conciliação em Dissídio Coletivo do Tribunal Superior do Trabalho (TST) realizada na tarde desta terça-feira (17/09), a Fentect e a ECT não entraram em acordo para tentar negociar uma nova proposta aos trabalhadores da categoria. Por esse motivo, o mediador da sessão, ministro Antônio José de Barros Levenhagen, deu por encerrada a audiência.

O ministro ainda criticou a ECT por querer barrar a possível greve, e reafirmou que quem decide a hora de entrar em greve são os sindicatos, juntamente com os trabalhadores.

Na reunião, o ministro Levenhagem tentou evitar a deflagração da greve da categoria propondo um conciliação entre as partes. Porém, como não houve acordo,  foi sorteado um ministro relator para o julgamento do dissídio, instaurado pela ECT na Sessão de Dissídio Coletivo. O escolhido como relator foi o Ministro Fernando Eizo Ono. Ele também irá apreciar o pedido de liminar feito pelos Correios sobre o efetivo mínimo que deverá trabalhar durante a paralisação. Ainda não há data prevista para o julgamento.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Proposta financeira da ECT não cobre inflação





Na Reunião de negociações da Campanha Salarial 2013 realizada nesta terça-feira (03) na Universidade dos Correios (UniCo), a Empresa finalmente apresentou a proposta econômica. A ECT propõe o reajuste de apenas 5,27% aplicado sobre os salários e benefícios conforme abaixo:

Vale I (Alimentação/Refeição) de R$26,62 para R$28,02;
Vale Alimentação II (Cesta) de R$149,15 para 157,01;
Reembolso Creche/Babá de R$409,97 para R$431,58;
Auxílio para dependentes de Cuidados Especiais de R$651,00 para R$685,31;
Crédito Extra de 23 vales em dezembro de 2013 para os admitidos até 31/07/2013 de R$644,46;

Propõe, ainda, manutenção da assistência médica/hospitalar/odontológica nos termos da cláusula 11, constante no Acórdão Vigente. Com a proposta em mãos ficam suspensas as negociações entre a Empresa e o comando da Fentect, para dar prazo para que as propostas sejam discutidas nas assembleias com as bases. A retomada das negociações ficou agendada para a próxima terça-feira (10).
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Trabalhadores se reúnem na 35ª Plenária da Fentect





Representantes de vários estados estão reunidos em Brasília neste sábado (31) para a 35ª Plenária Nacional da Fentect. Na Pauta do evento estão a Campanha Salarial e Anistia. No início do evento foi aprovado o Regimento Interno, que deu direito de fala aos observadores, para que a discussão seja ampla e que tenham voz também os trabalhadores de base presentes na
Assembleia.

O evento, aprovado no XXXI Conrep, tem como objetivos reforçar a mobilização e organizar a preparação para a greve a ser aprovada nas próximas assembleias, conforme o Calendário de Lutas (assembleia de estado de greve e assembleia final de decretação da greve, dia 17/09). Na manhã do evento, todas as falas dos companheiros destacaram a importância do Ato Nacional realizado ontem (30), em frente ao edifício Sede dos Correios em Brasília,onde foi ocupado o espaço interno da ECT, exigindo que a Empresa negocie de verdade.

Segundo Anaí Caproni, Secretária Geral da Fentect, o ato foi um sucesso, pois demonstrou para a Empresa que a Federação não irá amolecer nas negociações. “Além disso, a ação foi eficaz para unificar e reforçar os sindicatos, a fim de que todos estejam alinhados nas ações e juntos para a luta pela nossa Campanha Salarial”, declarou Anaí.

De acordo com ela, é preciso que intensifique o trabalho nos estados, para evitar que a Empresa, mais uma vez, arme para decidir a campanha salarial no TST. Anaí Informou que os sindicatos dos bancários e dos Petroleiros estão propondo reuniões para trabalhar a questão da unificação dos movimentos, a fim de somar as forças das categorias nas reivindicações da campanha salarial.

Outro ponto importante de destaque foi a questão do Plano de Saúde, reforçando a exigência de melhorias no Correios Saúde e não ao golpe do Postal Saúde.

A Fentect, mais uma vez, demonstra ser uma entidade democrática, que realiza seus fóruns de forma representativa, onde vários companheiros de base têm o direito a voz.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Ministério do Trabalho suspende registro sindical da FINDECT





Conforme a FENTECT (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios) vem denunciando há algum tempo, a suposta Federação que estava negociando com a ECT, foi confirmada pelo Ministério do Trabalho como irregular.

Nesta segunda-feira, dia 26, o Ministério do Trabalho publicou decisão definitiva sobre o registro da FINDECT e declarou como inativa a Federação, além de suspender o registro, com documentação publicada no Diário Oficial da União.

O MTE havia notificado a FINDECT sobre suas irregularidades em 01 de agosto e solicitou que os erros fossem sanados para a manutenção do registro. Porém, a federação paraguaia não cumpriu o prazo de 10 dias que havia sido determinado e mesmo que quisesse, não teria conseguido.

Para regularizar a situação, precisaria de cinco sindicatos para conseguir montar a federação e valer como Federação Interestadual, poderia apenas representar os estados: Bahia, Minas Gerais e São Paulo, mas essas bases estaduais, em sua maioria, estão afiliadas à FENTECT.

A decisão do órgão foi publicada no Diário Oficial da União, em 23 de agosto de 2013. Com esse veredito, não existe mais a possibilidade de tentar revalidar o registro, pois os sindicatos que, teoricamente, poderiam se filiar à FINDECT, já estão ligados à FENTECT.

No documento publicado, relata a decisão: “O Secretário de Relações do Trabalho, no uso de suas atribuições legais com o fundamento nos parágrafos 1° e 2° do art. 20 da Portaria n°. 186/2008, no inciso I art. 4° da Ordem de Serviço n° 2, de 16 de dezembro de 2011, publicada no boletim administrativo TEM n°. 23 de 16 de dezembro de 2011 e ainda nas Notas Técnicas n°, 02/2011/CGRS/SRT/MTE e 148/2013/CIS/CGRS/SRT/MTE resolve  SUSPENDER o registro sindical da Federação Interestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares de Comunicações dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Baia – FINDECT, CNPJ 59.995.498/001-12”

 Agora, a ECT tem que se explicar à categoria porque estava negociando com uma Federação irregular e também postando em seus informativos internos que ela "tem legitimidade", quando o Ministério do Trabalho já havia feito a notificação de irregularidade à FINDECT.

Essa é uma grande vitória da Federação e as medidas legais e políticas para cancelar definitivamente o registro sindical terão continuidade.

Portanto, a única e legítima representante nacional da categoria dos Correios é a FENTECT.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Negociação segue com ECT não se comprometendo em quase nada

A reunião começou com a apresentação e discussão da proposta de cronograma de discussão em blocos. O primeiro assunto discutido foi a questão da mulher. A proposta da Empresa é de manter o que já existe hoje como garantia e estabelecer outro fórum de discussões exclusivo para debate das questões da mulher. A Federação disse que aceitaria fazer um fórum específico para discussão das questões da mulher, desde o mesmo seja realizado dentro do período de negociação da Campanha Salarial e de que a ECT se comprometa a avançar. A data da reunião ficou estabelecida para 02/09.

A próxima cláusula discutida foi 60, que trata dos cursos e reuniões obrigatórios. A ECT alega que a maioria dos pontos reivindicados na pauta da Fentect já são atendidos pelo regulamento da Empresa, como o respeito ao horário de trabalho e coerência entre temas dos cursos e funções desempenhadas, o que sabidamente não é a realidade. A Fentect reivindicou que os cursos e reuniões deverão ser realizados no horário de expediente. Ficou garantido que a convocação para estes eventos deverá ser feita com 72 horas de antecedência. A ECT ficou de apresentar quais seriam as exceções desses cursos e reuniões obrigatórias. 

Na sequência foi debatida a cláusula 61- Seguro e manutenção da frota operacional, multas de trânsito e qualificação do motorista/motorizado. A Federação questionou a falta de adequação da Empresa ao modelo de mercado, onde acidentes são considerados responsabilidade das empresas e não do trabalhador, uma vez que esse risco já é intrínseco à sua função. A Fentect não aceita que qualquer dano ou prejuízo causado aos veículos seja imputado ao trabalhador. Além disso, foi cobrado o compromisso da Empresa em fornecer e manter os veículos em boas condições de uso. Os representantes da Empresa se comprometeram a trazer o resultado de um estudo do assunto futuramente.
 
O ponto final discutido foi o 62, que fala sobre o transporte noturno que é muito inconstante e acaba prejudicando o trabalhador, que passa horas aguardando. Para este ponto a Empresa também ficou de dar um retorno. 
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Pauta da campanha salarial começa a ser discutida





Nesta terça-feira (20), após jogar cortina de fumaça para confundir a categoria, a ECT finalmente se dispos a discutir pontos da pauta da campanha salarial 2013
 
Após muito embate e discussões, as negociações da pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2013 começaram a ser negociadas nesta terça-feira (20), da forma que deveria ser desde o princípio: com 11 representantes do comando de negociações à mesa e 30 observadores na plateia, vindos dos sindicatos de todo o País. Para que essa configuração, prevista em estatuto, fosse aceita, foram necessárias 5 reuniões e mais de 15 dias de enrolação da ECT, que insistia em querer interferir na forma de organização do movimento sindical.

Mas mesmo com esse avanço a Empresa não deixou de lado a postura ditatorial. Nesta reunião a Empresa começou discutindo o calendário de reuniões, quando se recusou a acatar os anseios da categoria de acelerar as negociações e realizar as negociações em dois turnos diários, pela manhã e pela tarde. Por fim ficou definido que às terças e quintas-feiras as reuniões serão pela manhã e tarde, e nas segundas e sextas-feiras ficarão a critério das comissões de acordo com as disponibilidades.

Em seguida foi iniciada a discussão da Cláusula 16 da Pauta de Reivindicações – Não ao trabalho no fim de semana e feriado. Essa é uma questão fundamental para os trabalhadores, pois como se não bastasse a hora extra, que está se tornando comum em todos os setores, a empresa abusa nas convocações, inclusive através da imposição do banco de horas. A Empresa alegou que precisa de pessoas para trabalhar nos fins de semana e feriados, porém a Comissão dos trabalhadores foi firme em seus argumentos.

A Federação contrargumentou, afirmando que os trabalhadores também tem direito e necessidade de descanso, lazer e convívio família. A Secretária Geral da Fentect, Anaí Caproni, afirmou que trabalhar nos feriados e fim de semana, não é questão de dinheiro: "Essa situação seria resolvida facilmente se a Empresa contratasse a quantidade de trabalhadores suficiente para suprir a demanda da semana. A vida social do trabalhador tem que estar em primeiro lugar. A empresa se aproveita e tenta manter os funcionários reféns de suas convocações".

A Diretora da Fentect, Amanda Corsino, reafirmou: "Somos contra o trabalhador ter que trabalhar o fim de semana e feriados, além do que muitas vezes demora para que o trabalhador receba o valor extra de um domingo no qual trabalhou. Portanto, o descanso com a família não tem preço". Os negociadores da ECT se comprometeram a levar as considerações feitas pelo comando para consideração da área de operações da direção da ECT, apesar de terem dito anteriormente que a pauta já havia sido avaliada pela Empresa.

A discussão prosseguiu com o debate sobre a cláusula 17, que trata da Gratificação Isonômica de função. A Federação questionou o porquê da diferenciação entre estados, já que o trabalho é o mesmo. A Empresa se contradiz à mesa: um dos negociadores afirma que a diferenciação ocorre devido ao diferencial de mercado, enquanto outro afirma que é por conta do porte da DR. Nesse mesmo ponto os negociadores da ECT disseram que não vão definir nada por enquanto, e que também irão levar para consideração da diretoria da empresa.  
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Após 5 reuniões ECT finalmente acata Estatuto da Fentect

Já na 5ª reunião sem discutir sequer um ponto da pauta de reivindicações ECT finalmente aceita a formação do Comando de Negociações da Fentect conforme o estatuto prevê: 11 na mesa e 30 ouvintes
 
A quinta reunião de negociação da Campanha Salarial 2013 realizada na última quinta-feira, 15, na Universidade dos Correios (UniCo) começou com sinais de que não haveriam avanços, novamente. A Empresa, em falso tom benevolente, afirmou que aceitaria os 11 negociadores da Fentect à mesa, desde que a Federação abrisse mão das filmagens e da presença dos 30 ouvintes. 

Mas a Fentect foi firme em sua contestação. “Não está sob jurisdição da Empresa a questão da organização do comando de negociação. A ECT não pode intervir nisso, e deve se ater a negociar outros pontos, referentes à pauta de reivindicação, pois a configuração do Comando não é negociável”, afirmou a Secretária-geral, Anaí Caproni. Anaí prosseguiu, afirmando que também não existe legislação nenhuma que obrigue o movimento sindical a se sujeitar aos desejos da empresa.

Foi declarado, ainda, que o jogo da ECT de tentar desmobilizar os trabalhadores não está funcionando, e só está servindo para deixá-los cada vez mais irritados com o atraso do início das negociações, o que poderá culminar em paralização e ocupação da Empresa. Com essas declarações os negociadores da ECT mudaram de postura e desistiu do retrocesso que de tentar retirar o direito ao comando amplo com as representações sindicais, mas insiste em não permitir as filmagens.
A Empresa sinalizou que irá começar a negociar com o Comando Amplo, mas ainda precisa definir sobre a liberação dos negociadores, que estão em Brasília, mas são trabalhadores da base sem liberação sindical.

Ficou acordado que por hora, as negociações irão acontecer sem transmissão ao vivo. A questão será levada para discussão com os trabalhadores em Plenária Nacional, que acontece no dia 31 de agosto. A partir daí a Federação irá elaborar um “protocolo” que será apresentado à Empresa, contemplando as questões de segurança institucional alegadas por eles.

A reunião foi encerrada com a ECT se comprometendo a começar a negociar na esta semana, terça-feira, dia 20/08.

Confira nos links abaixo a ata da reunião e o informe encaminhado à categoria:

Ata reunião dia 15-08-13
Informe 004
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

ECT mostra desinteresse em negociar Campanha Salarial


Empresa não demonstra interesse em negociar e mais uma vez a reunião de negociação é marcada por joguinhos, impasses e nenhuma discussão das pautas da Campanha Salarial em si


Mais uma vez a Empresa deixa claro que não está interessada em realizar uma negociação efetiva da Campanha Salarial. Na reunião realizada na manhã de da última quinta-feira (08) na Universidade dos Correios, logo de cara foi abordado o impasse do formato das negociações, que se prolongou por todo o encontro. A proposta da Empresa foi de que o número de representantes fosse flexibilizado “até o limite de 8 pessoas da Fentect”. E mais: permaneceu insistindo em manter os 5 integrantes da “Federação” Pirata à mesa de negociação e em não permitir a transmissão ao vivo.
 
A ECT alega que o número apresentado pela Fentect - que é estatutário, portanto, não negociável – de 11 pessoas na mesa de negociação mais 30 como plateia, não é viável. Ou seja, a ECT, que como uma empresa pública deveria respeitar a legislação, está tentando passar por cima das leis e impedir o processo de transparência durante as negociações, determinar quem deve ou não participar das negociações, e o pior: obrigar Federações distintas a negociarem em conjunto.
 
Segundo a Secretária-geral da Fentect, Anaí Caproni, a lei no Brasil não permite que o empregador escolha quem é o negociador. “O empregador também não tem amparo legal para colocar outras pessoas na mesa de negociação que não sejam da representação legal dos trabalhadores. Não existe isso do negociador exigir que duas Federações negociem juntas. Isso pode, inclusive, ser objeto de ação judicial. Me espanta o nível de arbitrariedade dessa exigência, que é claramente uma forma de desrespeitar os trabalhadores e atrasar as negociações”, afirma Anaí.
 
Na realidade, expõe Anaí, o que a ECT pretende ao colocar a “Federação” Pirata e a Fentect juntas na mesa de negociações é legalizar a situação dos piratas perante os trabalhadores. “Ninguém pode obrigar uma Federação à se reunir com pessoas consideradas inimigas, que estão atuando de forma ilegal contra a Federação e os trabalhadores, promovendo, inclusive, ataques pessoais contra os representantes da Fentect”, fundamentou Anaí.
 
Para ela, a insistência nesse ponto tem a intenção exclusiva de atrasar as negociações. “Não vamos sentar com o Findect, isso não vai acontecer. Hoje já seria a segunda reunião, mas nada foi discutido, pois há insistência em forçar essa situação humilhante e de ilegalidade. Poderíamos estar discutindo vários pontos de pauta, mas a Empresa insiste nesses entraves. Já estamos em agosto, e os trabalhadores tem urgência dessas decisões”, pondera a secretária-geral.
 
Mesmo após a fala de vários companheiros nesse sentido, os negociadores da empresa seguiam insistentemente batendo no ponto de que é impossível negociar com 41 pessoas, aparentemente ignorando a informação relembrada a todo momento de que apenas 11 participarão efetivamente da mesa de negociação.
Após horas de discussão em torno dos impasses foi dado um intervalo. Ao retornar os representantes da Empresa afirmaram que vão levar a sensibilidade apresentada pela Federação na reunião com relação aos pontos. Se comprometeram a pedir celeridade na questão da decisão em torno das filmagens e acataram que as negociações sejam feitas com 11 membros do Comando na mesa , além de discutir a questão dos 30 integrantes que compõe a plateia.

A nova reunião ficou agendada para esta segunda-feira (12) foi transferida para a próxima quarta-feira.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...
Assinar este feed RSS