Imprimir esta página
10 Mai

Sindicato faz representação no MP para que obra na AC Trindade seja investigada Destaque

O SINTECT-GO fez uma representação no Ministério Publico de Goiás (MP-GO), solicitando a investigação da obra de reforma da AC Trindade, avaliada em mais de R$726 mil. O Sindicato considera um valor muito alto, principalmente diante do déficit já anunciado pela ECT.

A AC Trindade há tempos precisava de substituição do sistema de refrigeração, revisão do sistema elétrico e pintura da fachada. Contudo, como informado na edição 161 do Ecetista na Luta, (confira errata a baixo), o processo de licitação foi realizado para prestação de serviços especializados em adequações de paredes, pisos e tetos; divisórias de ambientações internas, esquadrias metálicas, ferragens, vidros, acabamentos, pintura, instalações elétricas, instalações hidrossanitárias, estrutura metálica, comunicação visual, painéis, climatização dos ambientes e instalações de sistema de alarme e circuito fechado de televisão. O que aparentemente seria uma obra em torno de R$100.000,00 (cem mil reais) está orçada em cerca de R$726.000,00 (setecentos e vinte e seis mil).

Para o SINTECT-GO, este é um valor altíssimo, principalmente porque a Empresa vem anunciando aos trabalhadores e a população em geral que está com um déficit acumulado de mais de R$2.000.000.000,00 (dois bilhões de reais). Além disso, ela também já anunciou que em setembro de 2016 não terá condições de arcar com a folha de pagamento.

A Diretoria Regional de Goiás, no seu direito de resposta, enviou uma nota ao Sindicato explicando que todo o processo licitatório teve acompanhamento da “CAPEA – Comissão de Avaliação do Planejamento e Execução Administrativa, e que os serviços são compatíveis com o estabelecido e todos os preços utilizados nos projetos de engenharia dos Correios são tabelados por órgãos oficiais, tais como Agetop e Caixa Econômica Federal, por meio do SINAPI – Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil”. Ainda de acordo com a ECT, a obra na AC Trindade foi determinada a partir de critérios técnicos e que já era planejada desde a retirada do CDD, que funcionava no mesmo prédio (confira AQUI a nota da ECT na íntegra).

Novas informações serão publicadas assim que o MPF analisar o pedido de investigação solicitado pelo SINTECT-GO.

ERRATA: Na matéria “Superfaturamento na AC Trindade: Obras custarão mais de 725 mil aos cofres da Regional” do Informativo Ecetista na Luta do mês de fevereiro, edição 161, erramos ao utilizar somente o termo superfaturamento, quando deveria constar suspeita de superfaturamento".
 

Confira AQUI a nota da ECT na íntegra.

 

 

Última modificação em Sexta, 14 Outubro 2016 14:19
Avalie este item
(0 votos)