Tenha uma boa noite! Hoje é Sexta, dia 22 de Novembro de 2019. Agora são 19:40:59 hs

ECT entra com dissídio e confirma discurso da Fentect

 




A ECT protocolou na tarde desta quinta feira (13) o pedido de dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST), confirmando o que a Fentect sempre afirmou durante as negociações do Acordo Coletivo: que os Correios nunca tiveram intenção de negociar e nem de discutir as reivindicações dos trabalhadores.

Desde o início de julho, a ECT vem tentando convencer os trabalhadores, com “atas de reuniões” antes mesmo de ter acesso à pauta de reivindicações, que estava "tentando negociar" com a categoria.

Os gestores da ECT sabiam muito bem que para começar a negociar, a pauta teria que ser sistematizada e aprovada em assembleias e que, com o novo Comando da Fentect sendo composto por 1(um) integrante de cada sindicato, eleito também em assembleia, demandaria tempo. Se aproveitando disso, começou um plano de desmobilização nas bases, utilizando a Justiça para impedir que a categoria lute pelos seus direitos.

Percebendo isso, no início de agosto, a Fentect pediu a intermediação do Ministério Público do Trabalho, no sentido de continuar as negociações. E nesse mesmo dia, mais uma vez, a ECT divulgou em seu blog uma inverdade de que a "Fentect estaria dando um passo para a judicialização das negociações coletivas". Ora, então o que dizer desta atitude de hoje da ECT? A própria deu não só um passo, mas uma caminhada inteira contra os trabalhadores.

Mais contradições se percebem na ação dos Correios: divulgaram nota, no começo da semana, dizendo que apesar da greve nos Estados de Minas e Pará, a situação estava "normalizada". E na nota de hoje à imprensa, a empresa justifica a entrada no dissídio para garantir a "normalidade do atendimento a população", o que é um contrasenso.

Ainda argumentou, em seu pedido no TST, que pede a garantia de no mínimo 80% do contingente em atividade, quando ela mesma afirmou em nota anterior que "98% estava trabalhando normalmente".

É preciso dizer que o Comando de Negociação continua reunido em Brasília, em conjunto com a Assessoria Jurídica da Fentect, e que os trabalhadores do país inteiro continuam mobilizados e dispostos a lutar por melhores condições de trabalho para atender melhor a sociedade.

Veja abaixo o documento protocolado pela ECT no TST:

Dissídio coletivo de greve revisional e jurídico

 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Comissão critica proposta de 5,2% da ECT

 
Na reunião desta manhã (05), os representantes da ECT apresentaram à Comissão de Negociações e Mobilização da Campanha Salarial 2012/2013 proposta de reajuste salarial de 5,2% em todos os benefícios, como vale alimentação (refeição e cesta), reembolso creche e auxílio para dependentes de cuidados especiais. Os representantes dos trabalhadores levarão a proposta para ser votada na próxima assembleia, que será realizada na terça-feira, 11.

Inicialmente, nas falas da Comissão Nacional de Negociação dos Trabalhadores, o Secretário Geral da Fentect, Edson Dorta questionou a forma como a ECT está negociando, visto que a Fentect é a única representante legal da categoria e que pode assinar o acordo coletivo. Inclusive, sobre isso, Edson Dorta mostrou mais um ofício enviado pelo Departamento de Relações de Trabalho da ECT que confirma essa afirmação.

Dando continuidade as falas, Alexandre Takachi (MS) afirmou que os trabalhadores não aceitarão a anexação do índice da inflação com a alteração no plano de saúde e que a empresa dá uma mão e tira com a outra. Wesley Furtado (GO) critica a postura contraditória da Direção da ECT, pois, no início das negociações apresentou um documento timbrado onde diz que só a Fentect poderia negociar e agora negocia paralelamente com outros sindicatos. Saul Gomes (BA) reafirmou que o órgão máximo da categoria é a Fentect e se indignou com a proposta ainda rebaixada dos Correios. Marco Cândido (RJ) critica a postura dos gestores quando apresenta inicialmente uma proposta ridícula de 3% e agora 5,2% enquanto que, para eles, basta uma reunião de diretoria para aumentar suas remunerações singulares. Falou ainda das péssimas condições de trabalho da base ecetista e que os trabalhadores estão indignados com essa alteração no plano de saúde, ainda mais que "temos uma categoria que adoece rápido".

Edson Dorta continuou insistindo que a empresa explique exatamente o que pretende alterar no plano de saúde, mas os representantes continuaram enrolando e não foram claros em suas pretensões.

Os trabalhadores reafirmam que a proposta de 5,2% é um desrespeito à classe, pois esse reajuste continua sendo menor que o índice inflacionário. Os representantes dos trabalhadores enfatizaram mais uma vez que não aceitarão, também, nenhum tipo de alteração no plano de saúde.

O secretário geral da Fentect, Edson Dorta afirma que as assembleias do dia 11 deste mês serão mantidas e nela será discutida a proposta de reajuste oferecida pela ECT. “Vamos manter as assembleias com o indicativo de greve do dia 11 e discutir com a classe, porque a empresa continua com a mesma proposta rebaixada, não aumentou nada. Isso é um insulto aos trabalhadores”.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Empresa oferece 5,2 % de reajuste e alteração no plano de saúde. Fentect cobra explicações

 




A Comissão Nacional de Negociação da Fentect participa agora pela manhã, em Brasília, de reunião convocada pela ECT para discussão da campanha salarial 2012. A empresa apresentou, conforme imagem abaixo, proposta de reajuste de 5,2% em todos os benefícios, menor índice inflacionário.

O secretário geral da Fentect, Edson Dorta, cobrou uma explicação da ECT. A proposta ainda contém cláusula da alteração no nosso Plano de Saúde, o que representa uma armadilha para os trabalhadores. Acompanhe aqui no nosso site maiores informações.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Fentect reitera proposta







A Fentect reitera sua proposta por acreditar que até o momento a ECT não apresentou uma proposta decente para os trabalhadores. Consideramos ainda que parte de sua proposta é composta de uma dívida que os Correios têm com a categoria. São perdas salariais que os ecetistas não podem abrir mão. A direção da empresa sequer abre seu caixa-preta para informar quanto tem disponível para fechar nosso acordo coletivo.

A ECT fez questão de divulgar hoje em seu Primeira Hora que os sindicatos que se desfiliaram da Fentect apresentaram uma contra proposta e estranhamente elogiaram os mesmos. É evidente o intuito de desmobilizar a categoria. O que está em jogo, de fato, é a falta de respeito dos Correios, que sequer explica o que pretende fazer com nosso plano de saúde. É bom lembrar que esses sindicatos desrespeitaram suas bases, pois, para se apresentar uma contra proposta é preciso que os trabalhadores aprovem em assembleia - o que não ocorreu, abrindo um precedente perigoso onde os trabalhadores destes sindicatos não foram consultados.

No fim do Primeira Hora de hoje, a ECT fala do plano de saúde, mas continua escondendo quais seriam as adequações que pretende fazer no mesmo. Isso é respeito pelos trabalhadores e seus dependentes que precisam desse plano? Os trabalhadores não podem aceitar um retrocesso naquilo que foi conquistado com muita luta e, rasteiramente, a ECT quer "racionar custos" e prejudicar toda a categoria.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Fentect e ECT participam de mesa redonda na DRT em Brasília

 




Representantes da Fentect participaram nesta segunda-feira (27/08), na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, em Brasília (DF), de mesa redonda com representantes da ECT para discutir a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho.

Foi informado pela Fentect aos demais participantes da reunião que a categoria decidiu, em assembleias realizadas em todo o país, que não aceita a proposta de reajuste salarial apresentada pela empresa. Os trabalhadores ainda informaram que a resposta à pauta de reivindicações não correspondia à apresentada pela Federação, ressaltando também que a empresa demonstra, com isso, a falta de interesse nas negociações.

Durante a reunião, um representante da ECT defendeu o plano de saúde, alegando ser “muito bom", mas escondeu a mudança que a empresa quer implementar. A ECT ainda afirmou, por meio de seus representantes, que nos últimos 10 anos foram concedidos reajustes acima da inflação, escondendo, no entanto, que o reajuste foi graças à luta dos trabalhadores. A empresa ainda alegou estar “preocupada” com a categoria em relação a contratações. “Não adianta contratar hoje 30 mil trabalhadores e ano que vem demitir”, disse um dos gestores.

O secretário geral da Fentect afirmou que não quer a greve e que deseja a continuidade das negociações para evitar o conflito, diferentemente da ECT, que insistiu que a entidade apresentasse uma contra-proposta na reunião desta terça-feira (28/08). No entanto, o advogado da Federação alertou para o fato de que a discussão envolve todos os pontos da pauta e não somente um ponto isolado, da questão econômica.

Os representantes da Fentect ainda questionaram a ECT em relação à mudança que a empresa pretende fazer no plano de saúde. No entanto, o gerente de negociação da ECT apenas enrolou e disse querer "discutir" mudança no plano, quando, na verdade, o que estava escrito na proposta da ECT era "implementar" mudanças no plano.

O advogado da Federação insistiu que a ECT, objetivamente, explicasse qual ou quais mudanças pretendia implementar no plano. O representante da ECT, Idel Profeta, disse então que "a idéia é melhorar o plano de saúde, mas racionalizar os custos". Mas continuou sem dar respostas sobre as pretensões da empresa sobre o tema. O comando da Fentect insistiu no questionamento à ECT se a idéia da empresa era aumentar o valor do compartilhamento e o gestor respondeu: "não necessariamente".

De acordo com o secretário geral da Fentect, Edson Dorta, as respostas dadas pela ECT não correspondem à pauta protocolada pelos trabalhadores no dia 26 de Julho. A Fentect entregou documentos relacionados a denúncias sobre o SAP e SARC, trabalho em fins de semana, EPI, assédio moral e estudos da própria empresa que apontam a entrega pela manhã como mais saudável aos trabalhadores, sendo uma reivindicação antiga não atendida pela ECT.
 
Fonte/Autoria: Fentect
Leia mais ...

Fentect entrega hoje resultado das assembleias: repúdio aos 3% propostos pela ECT





Diretores da Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios e membros do Comando de Mobilização e Negociação estarão reunidos com a ECT em Brasíila nesta segunda-feira, dia 20, para apresentar a resposta das assembleias sobre a primeira proposta da ECT, o famigerado 3%.

A reunião será na Universidade Corporativa dos Correios No período da tarde.

Como era de se esperar, todas as assembleias nacionalmente rejeitaram a proposta da empresa. A maioria também aprovou moções de repúdio, contra a postura da empresa de não negociar de fato com os representantes dos trabalhadores e impedir a gravação e transmissão ao vivo das reuniões de negociação.

Também foram aprovadas moções de repúdio contra a agressão do Sintect-SP à assembleia convocada pela Fentect em São Paulo no dia 25 de julho, na Praça da Sé.

Hoje a Fentect vai propor a continuação das reuniões, no sentido de garantir o andamento das negociações. Mas até agora os representantes da ECT não indicaram que exista qualquer contraproposta que esteja ao menos próxima das reivindicações dos trabalhadores.

A Fentect também vai exigir hoje uma resposta da empresa quanto ao calendário de reuniões e o pedido de gravação e transmissão ao vivo das reuniões de negociação. A Fentect quer negociar, mas a empresa continua com sua campanha de mentiras e calúnias, através do Primeira Hora e do blog, para enganar a categoria.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS