Tenha uma boa noite! Hoje é Sexta, dia 22 de Novembro de 2019. Agora são 19:42:34 hs
24 Set

Trabalhadores dos Correios participam de ato unificado com bancários e outras categorias Destaque

 




Em greve desde o último dia 19, os trabalhadores dos Correios participaram na tarde desta terça-feira, 25, de um ato unificado que contou também com as presenças dos bancários, frentistas, vigilantes, petroleiros, metalúrgicos além de representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Nova Central e União Goiana dos Trabalhadores.

Mais de cem trabalhadores, juntos, fizeram uma grande passeata pelas ruas do Centro, com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para as lutas destas categorias, que exigem melhores condições de trabalho, salários mais dignos e o fim dos assédios morais.

Os ecetistas tentam negociar com a direção da ECT desde 27 de julho, sem sucesso. Ao invés de sentar à mesa de negociação e dialogar com os trabalhadores, os patrões têm recorrido ao Tribunal Superior do Trabalho para combater as greves.

“Os Correios investem R$ 20 milhões nas Olimpíadas, gastam milhões com terceirizações, mas não investem em seus trabalhadores, não oferecem um reajuste digno aos trabalhadores”, criticou  o secretário-Geral do Sintect-GO, Elizeu Pereira da Silva.

“Vimos denunciar o descaso com que aos patrões tratam os seus trabalhadores, não lutamos apenas por reajustes, e sim para ter condições de oferecer serviços dignos à sociedade”, defenderam os integrantes das passeatas.

Nos Correios, estima-se que 10 mil, dos 120 mil trabalhadores em todo o Brasil, estejam afastados de suas atividades por doenças ocupacionais. Os ecetistas têm enfrentado condições precárias em suas unidades de trabalho: motos e bicicletas quebradas, equipamentos sucateados, falta do protetor solar, não tem segurança nas agências de banco postal, além da pressão por resultados e da sobrecarga de trabalho, resultante do déficit de pessoal.

 
Fonte/Autoria: Daniela Martins • Assessora de Comunicação Sintect-GO
Avalie este item
(0 votos)
voltar ao topo