Tenha uma boa noite! Hoje é Terça, dia 20 de Outubro de 2020. Agora são 22:04:11 hs
SINTECT-GO

SINTECT-GO

URL do site: http://www.sintectgo.org.br/novo/

Vote em enquete para barrar o processo de privatização!

O SINTECT-GO convoca a todos os trabalhadores (as) a participarem da votação em enquete popular realizada pelo site da Câmara dos Deputados em apoio à proposta feita pelo deputado federal André Figueiredo (PDT/CE), que impede o governo Bolsonaro de avançar no processo de privatização dos Correios.

Já temos mais de 5 mil votos e precisamos de mais 5 mil.

A previsão é de que hoje (13), o ministro das Comunicações, Fábio Faria, já deverá assinar o projeto de lei, que propõe o fim do monopólio dos Correios sobre o serviço postal. Depois, o documento segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro, para então ser enviado ao Congresso Nacional.

Precisamos mostrar a nossa força! Vamos mobilizar nossos familiares e amigos e fazer uma grande ação virtual!

Precisamos que todos os trabalhadores, apoiadores e aqueles que lutam para que os Correios continuem sendo público participem da enquete.

Repasse para o maior número de pessoas para que possamos barrar o processo de privatização!

 

Clique aqui para votar na enquete

Execução PCCS/95: Confira explicações sobre a sentença

Prezados Companheiros e Companheiras,

EXECUÇÃO PCCS 1995

Embora o Sindicato já tenha divulgado estes esclarecimentos, considerando a imensa procura de informações sobre o tema, consolidamos aqui as principais perguntas visando explicar de forma resumida, mas bastante clara, a situação da execução da sentença do PCCS/95.


1)Quem pode executar a sentença?

Todo trabalhador da ECT em Goiás que foi contratado antes do PCCS/2008 pode executar a sentença que o Sindicato ganhou na ACP 0000681.80.2010.5.18.0005.


2)Preciso contratar advogado para executar a sentença?
Não. Você pode fazer isso sozinho, pela atermação do TRT GO. O direito está previsto na CLT e se chama “jus postulandi”. A atermação está localizada no 3º andar do Fórum Trabalhista de Goiânia, na Rua T-51, n.1403, Setor Bueno e atende no horário das 8 às 16h.

3)Caso deseje executar por meio de advogado, posso contratar somente o escritório que o Sindicato fez convênio?
Não. Você poderá solicitar a sentença da ACP ao Sindicato e contratar qualquer advogado de sua confiança.

4) O Sindicato fez convênio com algum escritório de advocacia?
Sim. O Sindicato tem contrato/convênio com o escritório Costa Nunes Advogados com honorários contratuais limitados a 15% no final da demanda. Caso deseje utilizar o convênio, solicite mais informações no Sindicato conforme contatos indicados neste informativo.

5) Para os que já executaram, como está a situação atual do processo?

Para quem concordou com os cálculos apresentados pelos Correios quanto ao valor retroativo (2005 a 2017), abaixo de 60 salários mínimos, já estão sendo feitos os pagamentos pelo Sindicato, à medida em que a justiça libera os valores na conta do Sintect/GO. Aguarde ser convocado por telefone (importante você ter seus dados atualizados no sistema do Sindicato).

Os que concordaram com o cálculo apresentado pela ECT e tem valores maiores que 60 salários mínimos (R$ 62.700,00), a previsão para o pagamento é fevereiro de 2022.
Para os que não concordaram com a conta da ECT, o processo segue para apuração pela justiça do trabalho devendo estes aguardar os julgamentos ainda pendentes.

6) E o realinhamento do salário base?
Esse tema também terá que aguardar a justiça do trabalho julgar os recursos da ECT. O Sindicato quer 5% para cada progressão; uma progressão de mérito a cada 12 meses e uma de antiguidade a cada 3 anos; continuidade das progressões após 2008 para os que recusaram o PCCS/08 e progressões até o final da carreira para os cargos em nível ( I, II, III e Jr, pleno e sênior), sem compensações com aumentos dos Acordos Coletivos. A empresa resiste a todos esses critérios tentando reduzir a quantidade de progressões.
A empresa fez um realinhamento parcial em fev/2014 (confira na sua ficha cadastral, na parte “evolução salarial” porque cada trabalhador recebeu um percentual diferente). A discussão na justiça é para que a empresa complete esse realinhamento parcial de 2014 e pague as vencidas também.

7) Recebi meu crédito do PCCS de 2005 a 2017, a demanda continua para mim?
Isso ainda é objeto de discussão judicial porque a definição do realinhamento do salário base ainda não foi concluída e, quando for, irá possibilitar o cálculo das parcelas vencidas para todos. O Sindicato defende a tese que, os que nada receberam terão o cálculo das vencidas efetuado de 2005 em diante até a data em que for realizado o correto/completo realinhamento do salário base e os que já receberam os créditos de 2005 a 2017 terão que receber, após o realinhamento dos salários, as vencidas de 2017 em diante.

8) Não estou na lista dos credores que executaram a sentença, vou receber meus créditos mesmo assim?

Não. Alguns trabalhadores, mesmo diante da ampla divulgação dada pelo Sindicato quanto a esta demanda, ainda não executaram a sentença. Os que não executarem não terão os salários alinhados e nem receberão os créditos vencidos.

Caso esteja interessado em executar a sentença contate-nos para melhores esclarecimentos através do E-mail - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ; O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , pelos números (62) 3280-8246 pelos WhatsApps: (62) 99688-8402; 99688-8403; 99254-5973 Eziraldo, Dirlene e/ou Rilan.


9) Como consigo minha ficha cadastral e financeira?

●TRABALHADORES NA ATIVA
Atualmente a Ficha Cadastral é disponibilizada no RH 24 Horas e no Aplicativo Sou Correios, o gestor da sua unidade de lotação também tem acesso a ela no Populi Para Gestores.
●TRABALHADORES INATIVOS
Aposentados, afastados em licença médica, demitidos por justa causa ou a pedido, quem está na quarentena, em férias etc., basta enviar uma mensagem do seu e-mail pessoal para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Na mensagem inclua seu nome completo, o número do seu CPF e de sua Matricula e descreva a solicitação.

Tão logo esteja com as Fichas encaminhe pelo WhatsApp ou pelos e-mails O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e/ou O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

10) Como faço pra atualizar meus dados no cadastro do Sindicato?

É preciso que os trabalhadores de Goiás, ativos e inativos, promovam a imediata atualização dos seus dados cadastrais para quando formos notificados pela Justiça para efetuar os pagamentos, tenhamos todos os dados necessários para o pagamento e para as informações obrigatórias ao INSS, CEF (FGTS) e Receita Federal.
Todos os trabalhadores ( com execução ou não) devem atualizar seus dados no sistema de cadastro do Sindicato.
Acesse o site do Sindicato, através da CENTRAL DE RELACIONAMENTO, cadastre sua SENHA e atualize os seus dados cadastrais com telefone de contato, Whatsapp (indispensável), conta bancária de sua titularidade para transferência do crédito (indispensável), endereço atual e completo, todos os documentos RG, CPF, CTPS, TÍTULO ELEITORAL, com datas de expedição.

Clique aqui e confira o passo a passo de acesso à Central de Relacionamento

11) Posso ajudar replicando essa mensagem aos meus colegas?

Não há a necessidade de você enviar esta mensagem aos seus colegas e/ou ex-colegas de trabalho, pois as mensagens sem direcionamento causam tumulto e abarrotam as caixas de mensagem e WhatsApp dos dirigentes que estão acumulados de tarefas e essa atitude só atrapalha a demanda. Todos os seus colegas receberão do sindicato esta mesma mensagem.


Saudações Sindicais, 


Diretoria Colegiada
SINTECT/GO

ATENÇÃO Aposentado na ativa: Foi notificado pelo TCU sobre a Emenda Constitucional 103/2019?

Com as novas regras o Estado deve retirar do trabalhador, no mínimo, R$ 800 bilhões do montante que, pelas regras anteriores, pagaria em aposentadorias, auxílios e pensões pelo INSS em dez anos, segundo a análise do próprio governo. No início do mandato, Bolsonaro fez de tudo para aprovar a Reforma da Previdência, demonstrando o descaso com a classe trabalhadora e deixando claro para quem governa: grandes empresários nacionais, estrangeiros e agropecuários.
Mesmo contribuindo regularmente com o INSS, o trabalhador brasileiro poderá não se aposentar e, ainda que aposente, não terá direito ao salário integral. Isso porque, com as novas regras, um homem precisa contribuir por 40 anos e ter 65 anos para poder receber a aposentadoria integralmente, ou seja, ele precisa começar a contribuir com 25 anos de forma ininterrupta. Cada mês não contribuído empurra a idade mais pra frente e, considerando o nível de desemprego e informalidade, quando não se contribui ao INSS, a tendência é morrer sem aposentar.

NESSE CENÁRIO, chegou ao nosso conhecimento que alguns aposentados receberam uma NOTIFICAÇÃO dos Correios a pedido do TCU, referente à Emenda Constitucional 103/2019, que trata da possibilidade de rescisão do contrato de trabalho após a aposentadoria, sob as novas regras da Previdência. Nesse sentido, o Sindicato enviou um Ofício à empresa solicitando a lista completa desses trabalhadores, que já receberam e os que ainda irão receber essa notificação.
Orientamos, assim, os aposentados que receberam a notificação, entrar em contato com o Sindicato PARA ATUALIZAR SEUS DADOS e enviar os seguintes documentos para melhor análise e orientação:
1. Notificação recebida pela Empresa;
2. Carta de concessão da aposentadoria;
3. Ficha cadastral atualizada.

Obs.: Para você, aposentado na ativa, solicitar a sua ficha cadastral, basta acessar o aplicativo 24 horas RH ou pelo Helpdesk, em caso de dificuldades no acesso.
Tão logo esteja com a Ficha Cadastral ao seu dispor, encaminhe pelo WhatsApp: (62)99255-1633 ou 99254-5973 e pelo e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .
Aposentado(a), filie-se ao Sindicato! Venha lutar conosco pela manutenção e avanço dos nossos direitos e por um Correio público e de qualidade! Não fique só! Fique sócio!

Diretoria Colegiada
SINTECT-GO

Vitória dos trabalhadores (as): FENTECT ganha liminar que regulamenta a compensação dos dias de greve

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) deu parecer favorável aos trabalhadores (as) dos Correios após a FENTECT protocolar pedido de Tutela de Urgência contra as determinações abusivas impostas pela direção da ECT. 

Com a decisão do TST, a empresa fica obrigada a cumprir os parâmetros fixados no pedido de Tutela. Desde o final do julgamento, a direção da ECT vem pressionando e assediando os trabalhadores (as) com maneiras absurdas de compensação dos dias de greve, já não bastando todos os ataques que já são realizados pela empresa contra os trabalhadores (as) dos Correios.

Essa é mais uma importante vitória da Federação e dos Sindicatos que estão juntos na luta contra todos os abusos e excessos praticados pela empresa nesse pós-greve. 

Calma aí gestores! Antes de pressionar o trabalhador, observe abaixo o que vem consignado na liminar!

 

1) A compensação dos dias parados da greve nos Correios deverá ser feita no período máximo de 120 dias, a contar do fim da greve, em 22/09/20;

2) Na compensação deverão ser observados os intervalos legais intra e interjornadas, bem como do descanso semanal remunerado, não podendo o trabalhador se ativar em ambos os dias do final de semana;

3) A empresa fornecerá relatório mensal aos trabalhadores que tenham horas a compensar, contendo o total de horas a serem compensadas e quantas já foram compensadas;

4) A convocação para compensação de dias parados deverá observar a antecedência mínima de 24 horas;

5) A compensação dos dias parados deverá ser feita no local de trabalho e na função exercida pelo empregado;

6) No caso de compensação em sábados, domingos e feriados, será assegurado o fornecimento de vale-transporte e vale-alimentação ao trabalhador;

7) Para efeito de compensação, serão considerados apenas os dias úteis de greve, excluindo-se do total da paralisação os sábados, domingos e feriados, com exceção aos empregados que trabalham em sábado em relação a esse dia;

8) Os empregados que optarem por terem descontados os dias parados, total ou parcialmente, em relação àqueles que seriam compensados, não poderão sofrer punição administrativa por esse fato, desde que informem com antecedência de 24 horas que não comparecerão à convocação para compensação de horas de paralisação.

 

# A luta continua! 

# Juntos somos mais fortes! 

#Contra todos os ataques!

                                                                                       Diretoria Colegiada

                                                                                          SINTECT-GO

 

Trabalhadores (as) dos Correios sofrem pressão e assédio moral após o término da greve

A FENTECT protocolou um pedido de Tutela de Urgência contra toda a perseguição política e assédio moral que os trabalhadores (as) dos Correios vem sofrendo após o término da greve. A direção da ECT já divulgou várias regras diferentes para a compensação dos dias de greve, criando uma grande confusão na categoria.

Além disso, os trabalhadores (as) vem sendo pressionados a cumprirem os critérios de compensação, com ameaças de punição caso não sigam. O pedido de Tutela de Urgência é para que as compensações tenham parâmetros fixados e também para evitar esse assédio nos locais de trabalho.

O que apresenta o pedido de Tutela:

1- Que seja respeitado o repouso semanal (não aconteça aos domingos);

2 - Que a compensação aconteça somente no local de trabalho e na mesma função;

3 - Que o pagamento dos 50% e a compensação dos outros 50% seja sobre os dias que efetivamente haveria trabalho (não contando sábado, domingo e feriado como a ECT já fez por conta própria);

4 - Que seja observado o princípio da dignidade da pessoa humana (CF/1988, art. 1º, III), (alimentação) considerando a natureza alimentar inerente à remuneração do empregado, requer seja levada a ensejo a aplicação analógica dos artigos 82 da CLT e 7º, IV, da CF, de modo a assegurar ao empregado o recebimento de 30% (trinta) por cento de sua contraprestação mensal ou, no mínimo, o valor atinente ao salário mínimo;

5 – Que os trabalhadores tenham o detalhamento do que efetivamente (discriminar todas as verbas no holerite) foi descontado no mês de agosto e setembro;

6 – Que as convocações sejam feitas com um mínimo de antecedência de 48 horas.

Pedimos que os trabalhadores (as) procurem o SINTECT-GO para esclarecer dúvidas e que mantenham a calma para continuarmos lutando juntos contra todos os abusos praticados pela direção da ECT.

 

 

Direção da ECT continua atacando os trabalhadores (as)

Na última segunda-feira (28), a diretoria da FENTECT se reuniu com os sindicatos filiados e com o advogado da Federação, Alexandre Lindoso, para discutir as inúmeras dúvidas apresentadas pelos trabalhadores (as), nas bases dos sindicatos, a respeito da convocação da compensação de horas paradas referente à greve da “Campanha Salarial 2020”.

O general Floriano Peixoto e a direção da empresa continuam tentando atacar os trabalhadores (as) dos Correios com suas decisões arbitrárias. Mal terminou o julgamento e a empresa já se apressou em efetuar mudanças em seus manuais em relação à jornada de trabalho. Mesmo sem o acórdão do TST definindo todas as regras sobre as compensações das horas paradas, a empresa já colocou seus gestores para oprimir e pressionar os trabalhadores que fizeram a luta para defenderem seus direitos.

O que ficou acertado na reunião é que a FENTECT e seu advogado farão um Informe para toda a categoria, esclarecendo os encaminhamentos tomados pelo movimento e, também, haverá um encontro jurídico entre todos os advogados dos sindicatos para decidir sobre medidas as serem tomadas sobre as retiradas de direitos do Acordo Coletivo. São várias as questões que ficaram obscuras na certidão do julgamento e que se faz necessário ter o acórdão em mãos para analisar.

Uma grande confusão, promulgada pela empresa, impera na categoria no que diz respeito ao desconto efetuado com relação aos dias parados, ao desconto referente às férias e seus respectivos períodos aquisitivos que estavam dentro da vigência da sentença normativa. Orientamos a cada filiado a abrir uma SEI, encaminhando à CEGEP, solicitando informações a respeito de cada rubrica de seus contracheques referentes aos descontos, tanto de férias, quanto de dias parados de greve e procurem o Sindicato.

 

Também foi apresentada uma proposta do ministro do TST, Ives Gandra, que ainda depende da aceitação da empresa, de prazo e forma para compensação dos dias de greve.

Não vamos permitir mais ataques tentando diminuir o tamanho da nossa luta, realizada na maior greve da história dos Correios! Continuemos firmes e fortes na luta contra qualquer tipo de abuso praticado pela direção da ECT e o governo! Este já deixou claro quais são as suas intenções para a nossa categoria e não teve dó e nem piedade de deixar milhares de trabalhadores na miséria com o contracheque zerado. Por isso é preciso nos mantermos mobilizados para agora defendermos nossos empregos.

 

# A luta não acabou!

# Fora Bolsonaro!

# Fora Floriano Peixoto!

# Diga não à privatização!

 

 

Diretoria Colegiada

SINTECT-GO

 

Parabéns a todas e todos pela luta!

Travamos uma luta árdua e intensa contra o Governo, Judiciário e Mídia nesta batalha! Lutamos bravamente pela defesa de nossos direitos e escrevemos um novo capítulo na história dessa categoria!

Travamos a maior greve da história dos Correios! Enfrentamos de cabeça erguida e com a certeza de que estávamos certos de que é preciso lutar! Ficou forte para nós a lição de que teremos cada vez mais que nos unir, que só a nossa unidade vai mudar todo esse estado de coisas!

Tivemos uma derrota momentânea e já temos que nos preparar para os próximos dias, recuamos para nos restabelecermos e tirarmos novas estratégias!

Nossa luta está só começando, é luta pra vida inteira! Momentos difíceis para nossa categoria e toda a classe trabalhadora, mas com a nossa unidade e companheirismo voltaremos a sonhar!

Agradecemos imensamente a todos pela confiança na condução desta greve! É uma honra lutar com vocês e representar estes bravos e bravas guerreiras!

Somos gratos, pois temos muitos companheiros e companheiras que podemos contar na luta!

 

A luta continua, nossa luta só começou! 

 

Diretoria Colegiada

SINTECT-GO

Carta aberta à Sociedade

O SINTECT-GO apresenta os motivos que obrigaram os trabalhadores (as) dos Correios em Goiás e, em todo o Brasil, a aderirem à greve em 2020:

  • Em 2019, ficou determinado que o Acordo Coletivo negociado entre a ECT e os trabalhadores (as) valeria por dois anos, até Julho de 2021;
  • Os trabalhadores (as) dos Correios não estavam preparados para negociação coletiva neste ano, sobretudo diante da pandemia da Covid-19;
  • A partir de uma liminar concedida pelo STF, a direção dos Correios desrespeitou a decisão do TST de 2019, que definiu os direitos constantes no Acordo Coletivo e ainda aproveitou para reduzir benefícios e a remuneração dos trabalhadores em plena pandemia;
  • A direção da empresa, juntamente com o governo, provocam uma greve de propósito, sem nenhum respeito com os trabalhadores e toda a população que necessita dos serviços dos Correios;
  • No primeiro semestre, tiveram o lucro de R$614 milhões, com isso não faltam recursos para a empresa, nem para o governo;
  • A greve não é culpa do Carteiro, do Atendente, do Operador de triagem, do Motorista ou Motociclista. Eles já ganham os menores salários entre os trabalhadores de todas as estatais brasileiras. E estão tendo a remuneração reduzida por meio do corte de direitos;
  • Não existe respeito algum com os trabalhadores (as) e seus familiares! Ninguém pode se calar diante de tantos ataques que todos os trabalhadores vem sofrendo e ainda mais com a forte ameaça de acabarem com nossos empregos diante de uma já planejada privatização;
  • Não estamos pedindo aumento salarial, apenas a manutenção dos direitos adquiridos. 

 

Os trabalhadores e trabalhadoras dos Correios contam com o seu apoio e sua compreensão!

 

Diretoria Colegiada
SINTECT-GO

Correios entram com dissídio coletivo no TST

   Após os Correios entrarem com dissídio coletivo de greve no Tribunal Superior do Trabalho (TST), ocorreu ontem (26) a primeira reunião de mediação com o Tribunal, a direção da FENTECT e a ECT. A empresa continua insistindo em uma apresentação financeira inexistente. Começaram alegando prejuízo contábil, mas tiveram de assumir que até metade desse ano, em plena pandemia, já contabilizaram mais de R$600 milhões de lucro.
  Mesmo com esse patamar e um Acordo Coletivo consolidado por dois anos, a ECT vem tentando rebaixar os salários dos trabalhadores (as) e atacar seus direitos. Ela fere não só o Acordo, mas a Constituição Federal com esses abusos. O lucro mostra também o porquê da insistência da privatização a todo custo.
  A trajetória dos Correios destaca todo o seu poder autolucrativo, uma empresa com cunho social e instrumento de integração nacional, com isso o governo deveria investir para que os Correios colaborasse mais ainda com as necessidades sociais da população brasileira e não retirar o pouco de benefícios que ainda se pode ter com o patrimônio público.
  Não é hora de recuar, nem de se deixar intimidar. A greve está forte nacionalmente e, em Goiás, já são mais de 600 trabalhadores que aderiram à greve. Continuemos na luta companheiros e companheiras! Juntos somos mais fortes contra todos os ataques! Vamos lutar pelo que é nosso!

 

Greve é ato legítimo de todos os trabalhadores (as)

Prezados Companheiros e Companheiras

O objetivo deste texto é fazer alguns esclarecimentos sobre algumas mentiras que foram divulgadas, na semana passada, por gestores da empresa ou por puxa-sacos que estão tentando desmobilizar o nosso movimento.

PRIMEIRO: Foi divulgado em Rio Verde e em algumas cidades da região, que a greve em Goiânia está fraquíssima e que só 40 pessoas estavam participando. Isso não é verdade, nós estamos com uma greve forte e consistente em Goiânia, com alguns atos, já que não podemos fazer aglomeração, fazemos alguns atos estratégicos no sentido de fortalecer mais e mais o movimento. Acontece que, como não se pode fazer aglomeração nesse momento, quando a Diretoria do Sindicato está na praça, o trabalhador só chega, assina o livro de presença e vai embora para não ficar aglomerando e, muitos também que estão na greve em Goiânia, com medo de contaminação, não vão à Praça. Mas divulgaram essa notícia, naquela região, para desmobilizar e desmotivar os grevistas, porque em Rio Verde a greve está fortíssima, com cerca de 35 trabalhadores participando. Em Jataí, da mesma forma, então na tentativa de desmoralizar, inventaram essa mentira.

SEGUNDO: Outra mentira que começaram a disseminar por aí é a de que o trabalhador desfiliado não pode participar da greve. Veja bem, a Lei de Greve não fala que quem pode participar de Greve em Campanha Salarial é só quem seja filiado. A legislação, por enquanto, não faz diferenciação entre quem está filiado e quem não está, então, quando o SINTECT/GO publica edital, publica para contemplar quem é trabalhador dos Correios. Se você é filiado ou não, sendo trabalhador dos Correios o edital está valendo para você.

TERCEIRO: Estão disseminando que gerentes de agências em geral e trabalhador de agência unipessoal não pode participar da greve e isso também não é verdade. A única orientação que é feita para esses é que, antes de aderir à greve comuniquem aos seus superiores e que se a gestão quiser enviar outra pessoa para abrir a agência, que a chave estará à disposição.

OBSERVAÇÃO: Aproveitamos para pedir a todos vocês das unidades do interior, que tirem fotos da participação na greve em frente às agências e mandem para nós, para montarmos um vídeo motivacional para nós intensificarmos essa greve.

No mais é fortalecermos o movimento e vamos à luta. Nós estamos muito contentes com a adesão, apesar de que entendemos que não é uma adesão unânime de todas as Unidades, pois o momento é grave e exige posições radicais.
Quem não participou na semana passada tinha como justificativa a esperança depositada no julgamento do STF. Com o STF unânime contra nós, agora deveríamos sermos unânimes no movimento em defesa dos nossos direitos e empregos.

Vamos à LUTA ATÉ A VITÓRIA!

DIRETORIA COLEGIADA
SINTECT/GO

Assinar este feed RSS